País

Rui Rio (PSD) sugere a António Costa (PS) que “perca com dignidade”

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou hoje que o secretário-geral do PS, António Costa, está “na iminência de perder as eleições” legislativas e a baixar o nível da campanha e sugeriu-lhe que “perca com dignidade”.

Em resposta a perguntas dos jornalistas, durante um percurso a pé no centro de Beja, que durou cerca de uma hora e meia, Rui Rio voltou a acusar António Costa de deturpar as propostas do PSD e usou a expressão “faltar à verdade”, acrescentando que se continuar assim acabará a ter de “dizer que ele mente”.

“Acho que o doutor António Costa está efetivamente na iminência de perder as eleições. E acho que ele, por aquilo que fez na política ao longo de toda a sua vida, que tem uma carreira política muito longa, podia perdê-las com dignidade”, sugeriu, em seguida.

O presidente do PSD reforçou esta mensagem: “Espero que ele aproveite os últimos dias para, no caso de as perder, que é bem provável, que perca com dignidade. Não ande agora aqui a amedrontar as pessoas, a dizer que eu disse isto quando eu não disse, a dizer que eu menti aqui quando não menti. É isto que é lamentável”.

Segundo Rui Rio, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro tem contribuído para que a campanha para as legislativas de domingo “esteja a baixar um bocado de nível”.

“Eu procurei até dar um certo tom de humor, aqui, acolá. Eu acho que é importante, temos de andar bem dispostos, não vale a pena andarmos aqui todos à pancada uns aos outros. Lutamos com ideias, mas podemos andar bem dispostos. Portanto, era a última coisa que eu queria, sinceramente, é que a campanha acabasse dessa forma”, declarou.

Rio considera que portugueses não irão compreender um regresso da ‘geringonça’
O presidente do PSD considerou hoje que os portugueses não irão compreender um regresso da ‘geringonça’ meses depois de o chumbo do Orçamento ter levado a eleições por falta de entendimento do PS com BE e PCP.

Rui Rio, que falava aos jornalistas durante um ação de campanha nas ruas de Beja, apontou a abertura manifestada pelo secretário-geral do PS para dialogar com o Bloco de Esquerda (BE) como mais “um dos ziguezagues” de António Costa.

Em seguida, observou: “Eu não sei como é que conseguem reerguer a ‘geringonça’ na exata medida em que o BE e o PCP fizeram determinadas reivindicações para aprovar o Orçamento de 2022”.

“O doutor António Costa não deu, não cedeu, por isso é que estamos em eleições”, referiu o presidente do PSD, questionando: “E agora em fim de fevereiro ou em março o PS já está disponível para dar aquilo que não estava disponível há dois meses?”.

“Mas então, se era para dar, tinha dado há dois meses e não andávamos em eleições e a criar esta instabilidade, com o BE e o PCP a dizer que a culpa é dele e ele a dizer que a culpa é do BE e do PCP. Se isso vier a acontecer, eu acho que os portugueses não vão perceber”, frisou.

Segundo Rui Rio, António Costa não tem “quase nenhuma saída” para governar, restando-lhe “pedir a maioria absoluta, como pediu”, mas que no seu entender “é quase impossível” e “seria um bocadinho de mais face aos resultados destes seis anos de governação”.

Com Agência LUSA

Comentários

topo