Guimarães

Candidatos à presidência do Vitória de Guimarães pedem “união” após votarem

Partilhe esta notícia!

O trio de candidatos à presidência do Vitória de Guimarães nas eleições que decorrem hoje pediram “união” para elevar o “patamar” do clube da I Liga portuguesa de futebol, após terem exercido o direito de voto.

Presidente em exercício e candidato a um segundo mandato à frente dos vimaranenses pela lista C, Miguel Pinto Lisboa votou por volta das 10:30 e afirmou-se, depois, preparado para “implementar o projeto” que apresentou para o triénio 2022-25, além de ter pedido o fim do ‘clima’ de “guerrilha” em torno do emblema minhoto.

“Espero que este ato eleitoral decorra com a máxima serenidade. Esperamos que, no final, possamos ter um Vitória unido. Queremos uma união efetiva. Não podemos ser hipócritas. Há demasiada guerrilha no Vitória, há demasiadas pessoas que ‘atiram pedras e escondem a mão’. Da parte da lista C, seja qual for o resultado, estaremos sempre unidos. Só temos um objetivo: um Vitória maior”, disse aos jornalistas o sócio número 1.439.

Já o candidato da lista B, Alex Costa, votou às 11:15, tendo pedido, logo depois, que os sócios vitorianos compareçam às urnas para “reforçarem a grandeza” da instituição e para “se comprometerem” com o projeto da lista que for eleita.

“Não podemos adiar mais o futuro do Vitória. Para isso, precisamos de nos podermos comprometer todos. Precisamos de estar todos unidos em torno de um futuro presidente, em torno de um futuro projeto, que leve o Vitória para o patamar que a nossa massa associativa exige”, disse o ex-futebolista e sócio número 11.281 do clube.

O candidato da lista A, António Miguel Cardoso, frisou, por seu turno, que votou com a sensação de “dever cumprido” e afirmou-se disposto a “defender o Vitória”, quer seja ou não eleito, num ambiente de união em torno do clube ‘preto e branco’.

“Só unidos seremos mais fortes. Depois do ato eleitoral, temos de estar todos juntos. União é o mais importante”, vincou o candidato, sócio número 4.530.

Antes, o coordenador do processo eleitoral, Pedro Xavier, disse que, até às 11:00, votaram 915 sócios, o que corresponde a 9,36% do total inscrito no caderno eleitoral – 9.780 associados.

O antigo presidente da assembleia-geral do clube, entre 2003 e 2004 e entre 2007 e 2010, perspetivou uma “maior afluência” de votantes “no final da manhã e durante a tarde”.

Nas eleições de 2019, entre Miguel Pinto Lisboa, António Miguel Cardoso e Daniel Rodrigues, tinham votado 2.371 sócios até às 12:00, de acordo com o balanço intermédio do então presidente da assembleia-geral, Isidro Lobo.

As urnas no Pavilhão Desportivo Unidade Vimaranense abriram às 09:00 e encerram às 19:00.

O sufrágio que envolve as candidaturas de António Miguel Cardoso, Alex Costa e Miguel Pinto Lisboa é o 11.ª na história do clube que assinala o centenário no próximo 22 de setembro com mais de uma lista na ‘corrida’.

Comentários

topo