Vila Verde

Bento Morais e Álvaro Santos ao leme da Santa Casa de Vila Verde há 25 anos

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

No dia 11 de março de 1997 Bento Morais tomava posse como Provedor da Santa Casa de Vila Verde acompanhado por Álvaro Santos como presidente da Assembleia Geral da Misericórdia de Vila Verde.

25 anos depois, a Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde é uma das maiores do país, o maior empregador do concelho e alberga em si dezenas de unidades no plano de saúde, social, educação, deficiência entre outros.

O hospital da Santa Casa de Vila Verde é uma referência nacional e, a instituição, foi mentora do primeiro colégio no concelho de Vila Verde.

A obra feita em 25 anos é destacada na União das Misericórdias Portuguesas e reconhecida nas várias entidades nacionais, governos e ministérios.

Álvaro Santos fez questão de marcar esse dia com uma declaração nas suas redes sociais falando do percurso como presidente da Assembleia Geral da Misericórdia de Vila Verde.

“Faz hoje vinte e cinco anos que tomei posse como presidente da Assembleia Geral da Misericórdia de Vila Verde.
Ter a oportunidade de dar o meu humilde contributo à nossa comunidade através da Instituição tem sido um privilégio.
Neste percurso de 25 anos, da equipa dirigente que tomou posse em 11/03/1997, apenas resto eu e o Provedor Bento Morais, mas lembro-me de todos e de cada um. Aos que foram saindo e aos que cá hoje estão, obrigado pela companhia. A viagem que todos temos feito em conjunto tem sido solidária e plena de companheirismo, o que muito tem contribuído para o prestígio da Santa Casa. A todos os Irmãos, funcionários, colaboradores e amigos da Misericórdia, agradeço o inestimável contributo que têm dado no engrandecimento da Instituição.
Os utentes dos nossos serviços devem ser, sempre, o verdadeiro sentido da nossa acção.
Nestes tempos sombrios que vivemos, tenhamos permanentemente presente o farol que nos guia: as catorze obras da misericórdia”, escreve Álvaro Santos nas suas redes sociais.

Comentários

topo