Braga

Braga. Presidente de junta chama ‘Putin’ a autarca por travar competências

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O presidente da Junta de Freguesia de Armação de Pera acusou hoje a presidente da Câmara de Silves de ser como “Putin” por não facilitar a transferência de competências para aquele órgão, acusação que a autarca considerou “lamentável”.

Durante uma intervenção no XVIII Congresso da Associação Nacional de Freguesias (Anafre), que decorre até domingo em Braga, o presidente da Junta de Freguesia de Armação de Pera, Ricardo Pinto, criticou a “postura” da presidente da Câmara de Silves, Rosa Palma, e do executivo relativamente ao processo de descentralização de competências para as freguesias.

“Em Silves, a minha presidente de Câmara pensa que ainda dispõe de todo o poder”, afirmou o autarca social-democrata, dizendo que tem reivindicado a transferência de competências e que aquela freguesia deu “provas repetidamente” que tem capacidade de “fazer mais e melhor” pela população.

“É isso que queremos e reivindicámos. E o que acontece quando temos essa postura? Somos inclusivamente ameaçados pessoalmente pela presidente da câmara e pelos vereadores de perseguição, de que tudo farão para nos prejudicar inclusivamente pessoalmente […]. Parece que temos o Putin [Presidente russo] em Silves, não é nada diferente”, salientou Ricardo Pinto.

Confrontada com as críticas, a presidente da Câmara de Silves, Rosa Palma, eleita pela CDU, lamentou, em declarações à Lusa, “as palavras duras” utilizadas pelo autarca, recusando, contudo, as acusações feitas relativamente ao processo de delegação de competências.

“Que raio de descontextualização o leva a dizer uma coisa deste género? Lamento imenso que tenha vindo falar da minha pessoa na Anafre e fazer acusações tão graves”, observou Rosa Palma.

Recusando as acusações feitas por Ricardo Pinto, a presidente da câmara afirmou que o executivo tem tido “um cuidado incrível” com as juntas de freguesia e que “prova disso” é o reforço “em mais do dobro” do valor a transferir para aqueles órgãos autárquicos.

“Foram tido em conta critérios muito rigorosos e que tiveram em conta as características das juntas de freguesia. Se isto não é negociar e tratar as juntas tendo em conta a universalidade, sem aumentar a despesa da câmara, e tratar em proximidade com as juntas, se isto é, na ótica do senhor presidente da junta, ser o Putin, então o Putin tem muito que aprender connosco”, acrescentou.

Aos mais de 1.000 congressistas presentes em Braga, o presidente da Junta de Freguesia de Armação de Pera deixou a garantia de que irá “continuar a lutar”.

“No meu caso, não me calarei, não desistirei e não parei de lutar por Armação de Pera”, disse.

A Associação Nacional de Freguesias (Anafre) iniciou na sexta-feira em Braga o seu XVIII Congresso, na sequência das eleições autárquicas, onde se discutirão temas como as novas competências, a reorganização administrativa e o acesso a fundos comunitários.
O congresso, sob o lema “Freguesias 20/30 Valorizar Portugal”, deverá ainda reeleger como presidente da Anafre o socialista Jorge Veloso, que encabeça a lista de consenso que irá a aprovação dos congressistas.

A reunião decorre no Altice Fórum de Braga até domingo, e tem cerca de 1.000 congressistas inscritos, representantes das 3.092 freguesias portuguesas.

Com Agência LUSA

Comentários

topo