Mundo

Ataque russo mata jornalista americano Brent Renaud

(C) Universidade do Arkansas/Divulgação
Partilhe esta notícia!

O fotógrafo americano de origem colombiana Juan Arredondo ficou hoje ferido durante o ataque russo à cidade de Irpin, a oeste de Kiev, no qual morreu o jornalista americano Brent Renaud.

Juan Arredondo, vencedor do prémio World Press Foto, encontrava-se com o jornalista americano Brent Renaud, explica um vídeo difundido pelo Parlamento ucraniano na sua conta do Twitter, que a agência espanhola EFE citou.

“Estávamos a atravessar a primeira ponte em Irpin para ir gravar com outros refugiados a sair, íamos conduzir um carro que alguém nos ofereceu para nos levar para a outra ponte. Atravessámos o posto de controlo e eles começaram a atirar sobre nós”, explicou Juan Arredondo no vídeo, enquanto se encontrava numa maca no hospital Okhmatdyt.

“O meu amigo Brent Reanud foi baleado no pescoço e deixado para trás e separámo-nos”, disse o fotógrafo no vídeo de um minuto.

A morte do jornalista Renaud foi confirmada pela polícia de Kiev, culpando as tropas russas.

Num primeiro momento, foi divulgado que o jornalista trabalhava para o The New York Times, mas a informação foi depois desmentida pelo diário, esclarecendo que a sua colaboração já tinha acontecido há alguns anos atrás.

De acordo com a sua página pessoal na Internet, Renaud trabalhava com frequência com Juan Arredondo na produção de documentários e programas de televisão.

O Comité para a Proteção dos Jornalistas afirmou hoje que o ataque sobre ambos viola a lei internacional, defendendo que “estes ataques são inaceitáveis”, através de um comunicado noticiado pela EFE.

A mesma agência de notícia refere ainda que, através das redes sociais, a Organização dos Repórteres Sem Fronteiras também tomou hoje uma posição, pedindo uma investigação para esclarecer as causas e as circunstâncias do ataque sobre os dois jornalistas.

O governo dos Estados Unidos prometeu aplicar “consequências apropriadas” e está em contacto com as autoridades ucranianas para obter mais informações sobre o incidente.

A Rússia lançou a 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que já causou pelo menos 564 mortos e mais de 982 feridos entre a população civil e provocou a fuga de cerca de 4,5 milhões de pessoas, entre as quais 2,5 milhões para os países vizinhos, segundo os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

Com Agência LUSA

Comentários

topo