Braga

Braga e Barcelos juntam vozes para exigir mais investimento público no Minho

Partilhe esta notícia!

Os municípios de Braga e Barcelos decidiram “estreitar laços de cooperação, para a concertação de posições em torno de matérias relevantes para o interesse regional, foi hoje anunciado.

Em comunicado, os dois municípios referem que o objetivo é, desde logo, o reforço do investimento público no Minho nos próximos anos, em áreas centrais como a mobilidade, o acolhimento empresarial, a saúde e a valorização do património natural.

“Ninguém compreende que, atento o peso que estes territórios, tal como os da envolvente, têm para o crescimento económico do país, não tenham beneficiado de investimentos relevantes por parte do Estado central nos últimos anos e tenham sido esquecidos no desenho do Plano de Recuperação e Resiliência”, sustentam.

De mote próprio, ambos os municípios pretendem reforçar as iniciativas conjuntas na esfera da captação de investimento, da descentralização cultural e do ordenamento do território, em sede dos processos em curso da revisão dos respetivos planos diretores municipais.

Por outro lado, propõem-se aproveitar as plataformas intermunicipais em que ambas as cidades se encontram inseridas para dar seguimento a projetos como a Ecovia do Cávado e o Serviço Intermunicipal de Transportes, ou para avaliar novas soluções infraestruturais de mobilidade no Quadrilátero Urbano, associação de municípios que integra ainda Vila Nova de Famalicão e Guimarães.

A primeira reunião de trabalho dos dois municípios juntou os presidentes de Câmara, ambos do PSD.

Ricardo Rio (Braga) e Mário Constantino (Barcelos) vão instar o próximo Governo a assumir “uma postura mais condizente” com a promoção da coesão territorial e o desenvolvimento pleno do potencial do país, invocando a capacidade exportadora e a diversidade económica dos seus concelhos.

A esta reunião, seguir-se-ão reuniões temáticas entre os responsáveis dos diferentes pelouros, tendo em vista o desenvolvimento de projetos conjuntos nas diferentes áreas.

Comentários

topo