Desporto

Sporting de Braga nos ‘quartos’ da Liga Europa com exibição ‘de luxo’ no Mónaco

(C) SC Braga
Partilhe esta notícia!

O Sporting de Braga empatou hoje no Mónaco 1-1, na segunda mão dos oitavos de final da Liga Europa de futebol, num jogo que controlou desde o início, e qualificou-se para os ‘quartos’ pela terceira vez.

Abel Ruiz voltou a marcar, tal como em Braga (19 minutos), e o golo de Diasi perto do fim (90) apenas serviu para impedir o segundo triunfo dos minhotos nesta eliminatória, após o 2-0 da primeira mão.

O Sporting de Braga, que nunca tinha eliminado equipas do campeonato francês, nem tão pouco marcado nesses redutos, qualificou-se pela terceira vez na sua história para os quartos de final de uma competição europeia (e da Liga Europa).

Em 2010/11, época em que chegou à final da prova, que perdeu com o FC Porto, em Dublin, 1-0, com Domingos Paciência, e em 2015/16, orientado por Paulo Fonseca, tendo sido eliminado pelos ucranianos do Shakhtar Donetsk.

Com uma exibição personalizada e uma organização defensiva sem mácula, o Sporting de Braga confirmou a vantagem de 2-0 trazida da ‘Pedreira’, controlando um Mónaco amorfo e sem ideias.

Carlos Carvalhal reforçou o meio-campo, com o tridente Castro, Al Musrati e André Horta – habitualmente jogam apenas dois destes –, e logo aos três minutos Ricardo Horta esteve muito perto de marcar com um remate rasteiro.

O Mónaco tinha a bola mais tempo em sua posse, mas não criava perigo e foi o Sporting de Braga a marcar, na sequência de um rápido contra-ataque gizado por Fabiano e Rodrigo Gomes, que colocou Castro na cara do guardião local.

O remate do médio saiu com força, mas à figura de Nubel, a bola sobrou para Abel Ruiz, que, com um remate de fora da área, que ainda bateu em Vanderson, traindo o guarda-redes do Mónaco, fez, tal como na primeira mão, o golo inaugural.

O Mónaco intensificou o domínio do jogo, ainda que, em grande parte, consentido pelos minhotos, e obrigou Matheus a algumas intervenções mais atentas, com destaque para as que pararam um cabeceamento de Volland (33) e um remate de Ben Yedder (35).

A equipa da casa surgiu na segunda parte a jogar com outra velocidade e Ben Yedder, aos 50 minutos, criou a melhor ocasião dos monegascos em toda a partida, mas Matheus brilhou.

Pouco depois, o seu técnico fez uma tripa substituição, retirando, entre outros o internacional português Gelson Martins, mas um muito ‘cinzento’ Mónaco não mostrou arte, nem engenho para ultrapassar o último reduto bracarense.

Abel Ruiz criou perigo num curto espaço de tempo, ‘disparando’ primeiro à figura de Nubel e preferindo assistir Ricardo Horta depois, perdendo-se o lance, quando podia ter visado a baliza (60 e 61).

Manietado, o Mónaco bombeava bolas na área ‘arsenalista’ e foi Lucas Mineiro, de cabeça, a estar muito perto de fazer o segundo golo após canto da esquerda (79).

No minuto 90, o Mónaco chegou ao empate, com Diasi, de cabeça, também depois de um canto, a subir mais do que Tormena e Al Musrati e a sentenciar o resultado final, que nada mudou em termos de eliminatória.

O Sporting de Braga fica a saber na sexta-feira o adversário dos ‘quartos’, que serão jogados em 07 e 14 de abril.

Comentários

topo