Vila Verde

Páscoa negra nas estradas do Minho com mais acidentes e muito álcool

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Mais mortes e mais acidentes nas estradas na Páscoa

Cinco pessoas morreram nas estradas portuguesas no período da Páscoa, mais uma do que no mesmo período do ano passado, quando vigoravam medidas como a proibição de circulação entre concelhos, informaram as autoridades.

Em comunicado conjunto, a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), GNR e PSP informam que entre 14 e 18 de abril foram registados 37 feridos graves, mais 10 do que no período da Páscoa do ano passado (01 a 05 de abril), o que representa um aumento de 37%, e 456 feridos leves (+46,6%).

Os acidentes nas estradas também subiram relativamente ao período da Páscoa do ano passado, com um total de 1.352 (+32,5%).

Segundo as autoridades, as cinco vítimas mortais resultaram de acidentes que ocorreram nos distritos de Braga, Coimbra, Lisboa, Portalegre e Vila Real.

No total, foram fiscalizados neste período festivo mais de 1,4 milhões de automóveis (1.480.339), quer presencialmente pela GNR e PSP, quer através de controlo por radar (97,8% do total), o que representa mais 1,9% relativamente ao período homólogo do ano passado.

Dos veículos fiscalizados por radar, 12.655 circulavam com excesso de velocidade – dos quais 3.835 foram detetados pelos radares da GNR e da PSP e 8.820 pelos da ANSR -, resultando numa taxa de infração (n.º total de infrações/n.º total de veículos fiscalizados) de 0,85%, mais 44% do que a registada em 2021 (0,59%).

No que se refere à condução sob o efeito do álcool, foram submetidos ao teste 17.042 condutores, dos quais 527 apresentaram uma taxa de alcoolemia superior à máxima permitida. Destes, 310 foram detidos.

A taxa de infração registada foi de 3,1%, acima da registada em igual período de 2021 (0,8%).

Foram igualmente detetadas 177 infrações por uso do telemóvel durante a condução, acrescenta a ANSR.

Sob o mote “Dê prioridade à vida”, a ANSR lançou no dia 13 de abril a campanha de Páscoa, que se prolonga até dia 27 e que apela aos portugueses para viajarem “sem pressa, sem álcool e sem telemóvel”.

“Apesar dos progressos efetuados nos últimos 25 anos em Portugal, o número de mortos e de feridos graves devido aos acidentes rodoviários continua a ser muito elevado”, sublinha a nota, acrescentando que, em média, na última década, 650 pessoas por ano perderam a vida e mais de 2.000 ficaram gravemente feridas.

Três mortos e 28 feridos graves na Operação “Páscoa 2022” da GNR

Três pessoas morreram e 28 ficaram gravemente feridas nos 850 acidentes registados durante a Operação “Páscoa 2022″ da GNR, que deteve mais de 200 condutores por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue considerada crime.

Em comunicado, a GNR informa que na Operação “Páscoa 2022”, que decorreu entre quinta e segunda-feira (dias 14 e 18), fiscalizou 25.614 condutores: 370 conduziam com excesso de álcool e, destes, 212 foram detidos por apresentarem uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l.

Foram igualmente detidos outras 109 pessoas por conduzirem sem habilitação legal.

Nas ações desencadeadas pelos militares da GNR foram registadas 5.969 contraordenações, 3.342 das quais por excesso de velocidade, 445 por falta de inspeção periódica obrigatória e 149 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização.

A GNR dá ainda conta de 131 contraordenações por uso indevido do telemóvel no exercício da condução, 279 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou cadeirinhas para crianças e 192 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

Neste período, a GNR registou 850 acidentes rodoviários, de onde resultaram três vítimas mortais e 28 feridos graves.

Relativamente aos acidentes que envolveram vítimas mortais registadas pela GNR, ocorreram nos concelhos de Braga (despiste de velocípede), Vila Real (despiste de motociclo) e Monforte (despiste de ligeiro de passageiros).

PSP fiscalizou 29 mil viaturas durante a Páscoa e detetou 237 condutores com álcool

A PSP fiscalizou entre 06 e 18 de abril cerca de 29 mil viatura, fazendo 394 detenções, das quais 237 por condução com álcool e 164 por falta de carta de condução, informou hoje a força policial.

Num balanço da Operação Polícia Sempre Presente (Páscoa em Segurança 2022), do total de detenções neste período, outras 28 deveram-se a tráfico de estupefacientes, sete por posse ilegal de arma e 43 por mandado judicial de detenção, em ações da área de responsabilidade da PSP em território continental e na totalidade das regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

Dos 6.572 condutores que realizaram o teste do álcool, para além das 237 detenções por níveis de álcool em valor criminal (iguais ou acima das 120mg/litro de sangue), resultaram ainda 253 contraordenações por valores de alcoolemia abaixo dos 120mg/l.

No contexto da Segurança Rodoviária, a PSP promoveu 491 ações de fiscalização a perto de 29 mil viaturas, detetando 7.613 infrações.

Destas, 793 deveram-se a falta de Inspeção Periódica Obrigatória da viatura, 179 por uso de telemóvel durante a condução e 173 por falta de seguro obrigatório.

“Considerando a época festiva e normais deslocações para reencontros familiares, assim como outros fatores como as férias escolares, a maior mobilidade dos cidadãos, a crescente afluência de pessoas aos estabelecimentos de diversão noturna e o maior movimento de turistas potenciado pelas previsões climatéricas”, a PSP realizou também operações fora da esfera rodoviária, das quais resultaram na apreensão de 10 armas de fogo, 34.413 artigos pirotécnicos e 1.400 doses de estupefacientes.

Também hoje, um comunicado conjunto da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), GNR e PSP dá conta que durante as ações de Páscoa realizadas entre 14 e 18 de abril cinco pessoas morreram nas estradas portuguesas, mais uma do que no mesmo período do ano passado, quando vigoravam medidas como a proibição de circulação entre concelhos.

No mesmo balanço foram registados 37 feridos graves, mais 10 do que no período da Páscoa do ano passado (01 a 05 de abril), o que representa um aumento de 37%, e 456 feridos leves (+46,6%).

Os acidentes nas estradas também subiram relativamente ao período da Páscoa do ano passado, com um total de 1.352 (+32,5%).

Segundo as autoridades, as cinco vítimas mortais resultaram de acidentes nos distritos de Braga, Coimbra, Lisboa, Portalegre e Vila Real.

Comentários

topo