Braga

Rampa Internacional da Falperra volta a Braga de 6 a 8 de maio

(C) Município de Braga
Partilhe esta notícia!

Prova realiza-se de 6 a 8 de Maio

Tudo a postos para mais uma edição da mítica Rampa Internacional da Falperra. A 41ª edição da prova rainha do europeu da montanha arranca a 6 de Maio, trazendo a Braga milhares de aficionados do desporto automóvel.

Depois do sucesso do FIA Hill Climb Masters, evento que se se disputou no ano transacto e que, segundo um estudo de impacto económico realizado pela Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, teve um retorno financeiro superior a 4,5 milhões de euros, a Cidade volta a receber uma das mais espectaculares provas do automobilismo nacional e internacional. Este ano a Rampa promete reunir um “plantel de luxo” esperando cerca de 150 mil espectadores.

Uma prova que, segundo Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, é já um “cartão de visita da Cidade” e vem dar continuidade aos grandes eventos desportivos que Braga tem realizado ao longo dos últimos anos. “Esta é uma das mais emblemáticas provas do automobilismo internacional e mais uma oportunidade para mostrarmos ao mundo a nossa capacidade e competência para fazermos deste evento mais um sucesso a todos os níveis. Somos um palco de excelência e a Cidade não pode ficar alheia aos milhares de espectadores que tornam esta uma prova única, tanto para quem assiste como para quem a disputa”, referiu o Autarca durante a apresentação da prova que decorreu esta Quinta-feira, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Felicitando o Clube Automóvel do Minho (CAM) pelo trabalho que tem desenvolvido em prol do desporto automóvel, particularmente pelo seu esforço e dedicação para que a Rampa da Falperra continue a ser uma das mais representativas provas do automobilismo internacional, Ricardo Rio destacou o “enorme alcance social da prova, espelhado e quantificado no excepcional trabalho de Paulo Mourão e António Azevedo, através do estudo de impacto mediático e económico ao Masters da FIA de 2021. Um estudo de grande importância e que devia ser replicado em outros contextos e eventos”, referiu.

Comentários

topo