Mundo

Kiev demoliu monumento histórico dedicado à amizade russo-ucraniana

(C) Twitter
Partilhe esta notícia!

A câmara municipal de Kiev iniciou hoje a demolição de um monumento histórico da era soviética erguido para celebrar a amizade entre a Ucrânia e a Rússia, na sequência da invasão do país por Moscovo há dois meses.

No processo de demolição, a cabeça de uma das duas figuras desta estátua – que representa um trabalhador russo e um trabalhador ucraniano de mãos unidas, um símbolo soviético com a inscrição “amizade entre os povos” – já foi retirada, enquanto uma grua tentava desmontar o monumento, em pleno centro de Kiev.

“Oito metros de metal da designada ‘amizade dos dois povos’ desmantelados. E o que é simbólico (…) a cabeça do operário russo caiu”, escreveu no Telegram Vitali Klitschko, presidente de câmara da capital ucraniana.

Instalado na época soviética em 1982 para celebrar a “reunificação da Rússia e da Ucrânia”, esta estátua massiva de bronze será totalmente desmontada até à noite de hoje, acrescentou.

Klitschko justificou a decisão pela intenção de Moscovo em “destruir o Estado e os ucranianos” com a invasão desencadeada em 24 de fevereiro.

Um outro monumento deste conjunto será desmantelado numa data posterior, enquanto o terceiro, um amplo arco, vai ser rebatizado e pintado com as cores ucranianas.

Segundo o presidente da câmara de Kiev, outros 60 monumentos, baixos-relevos e símbolos associados à URSS e à Rússia serão desmantelados em breve. Mais de 460 ruas serão também rebatizadas.

A Ucrânia iniciou há vários anos, em particular após a designada Revolução de Maidan” em 2014, uma política de “descomunização”, ou “dessovietização”, ao desmantelar designadamente as estátuas de Lenine e alterando os nomes de algumas cidades para lhes fornecer os nomes que utilizavam antes da revolução bolchevique de 1917.

As autoridades ucranianas também procederam a um processo de “desrussificação”, anterior ao início da invasão militar ordenada pelo Presidente Vladimir Putin.

A Rússia lançou, na madrugada de 24 de fevereiro, uma ofensiva militar na Ucrânia que já matou mais de dois mil civis, segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

A guerra causou a fuga de mais de 12 milhões de pessoas, das quais mais de 5,16 milhões para fora do país, ainda de acordo com a organização.

Comentários

topo