Barcelos

Festival de teatro dedicado às línguas minoritárias nasce em Barcelos

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Foi apresentado o Festival Internacional de Teatro em Línguas Minoritárias, no Café Concerto do Theatro Gil Vicente, em Barcelos, com a presença da vereadora da Cultura do Município, Elisa Braga, do programador do teatro, Luís Ferreira e a companhia Teatro de Balugas, organizadora do festival.

Trata-se de um certame dedicado às línguas da terra, onde o teatro comunitário e amador identitário de uma região ou de uma língua ou dialeto tenha palco. O que perdemos quando morre uma língua? A resposta a esta pergunta levou a companhia à criação deste festival: a importância do teatro como expressão de resiliência da mesma, porque quando morre uma língua, morre todo um legado outrora transmitido de geração em geração.

Nas palavras da organização: “este Festival pretende não só ser uma mostra de teatro, mas também um ponto de encontro multicultural para a discussão dos desafios e problemáticas que o teatro amador e comunitário apresenta
neste contexto”.

O LÍNGUA vai decorrer nos dias 10, 11 e 12 de junho, no Theatro Gil Vicente e Biblioteca Municipal, na cidade de Barcelos. Vai abrir com um espetáculo em Mirandês, realizado por um grupo de alunos do Agrupamento de Escolas de
Miranda do Douro, um espetáculo em Estremenho (da região espanhola da Estremadura) pela companhia De La Burla Teatro e outro em *Sassarese* (da região italiana da Sardenha) pela companhia Paco Mustela. O certame terá, ainda, debates sobre a importância do teatro como expressão para a salvaguarda e a difusão das línguas minoritárias, focando o trabalho das companhias presentes no seu território e a apresentação do contexto cultural de cada uma das línguas desta edição, com a presença de linguistas, académicos e agentes culturais de Portugal, Espanha, Itália e Reino Unido. Haverá também espaço para formação, com a oficina sobre *commedia dell’arte* “Né noi, né gli altri: il corpo, la maschera, la scena”, dirigida por Francesco Facciolli e Scilla Sticchi e a oficina de criação em teatro documental “Eu uso termotebe e o meu pai também”, dirigida por Ricardo Correia/ Casa da Esquina.

O LÍNGUA – Festival Internacional de Teatro em Línguas Minoritárias é organizado pela companhia Teatro de Balugas e pelo Clube UNESCO para a Salvaguarda do Teatro em Línguas Minoritárias, com o financiamento do Município de Barcelos, Direção Regional de Cultura do Norte, Fundação INATEL e tem o apoio de várias entidades nacionais e internacionais.

Comentários

topo