Braga

Bosch fatura 1.040 ME em Braga em 2021 e é penalizada pela falta de semicondutores

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

A fábrica da Bosch em Braga faturou 1.040 milhões de euros em 2021 e foi a única unidade do grupo alemão em Portugal que não bateu um recorde de vendas, penalizada pela escassez de semicondutores, foi hoje anunciado.

“A fábrica de Braga, que é a entidade maior da Bosch em Portugal, faturou 1.040 milhões de euros e foi a única unidade do grupo em Portugal que não faturou o recorde, ou seja, em que o melhor ano não foi 2021. Para todas as outras unidades da Bosch em Portugal [fábricas de Aveiro e Ovar e instalações de Lisboa], sem dúvida que foi um ano muito positivo”, afirmou o representante do grupo Bosch em Portugal durante uma conferência de imprensa no Porto.

Embora 2021 não tenha sido “o melhor ano” da unidade bracarense, que responde por cerca de 60% da faturação do grupo Bosch em Portugal, Carlos Ribas salientou que as vendas ficaram “acima da barreira psicológica dos 1.000 milhões”, valor abaixo do qual o grupo não “quer descer”.

De acordo com o responsável, a penalizar a atividade em Braga esteve, no início do ano passado, ainda a pandemia e, a partir do primeiro trimestre, “mais uma vez a falta de disponibilidade de semicondutores no mercado”, que não permitiu responder aos “valores muito superiores” de clientes e de encomendas.

“Em 2020 tivemos um problema chamado covid. Os nossos clientes pararam e, portanto, a nossa fábrica de Braga foi obrigada a parar também”, recordou.

“Em 2021 – acrescentou – foram dois fatores: no início, ainda a pandemia e, a partir do primeiro trimestre, a falta de semicondutores no mercado. Mais uma vez, as encomendas dos nossos clientes [ficaram] muito acima daquilo que estamos a fazer neste momento, mais uma vez por falta de disponibilidade de semicondutores no mercado”.

Salientando que todas as fábricas do grupo Bosch em Portugal “estão em crescimento”, Carlos Ribas precisou que a unidade de Braga “começou obras há duas semanas para crescer mais de 15.000 metros quadrados em área produtiva” e, no final deste ano, arrancará em Braga uma outra obra, de um edifício de escritórios com três andares e cerca de 6.000 metros quadrados, destinado a acolher “serviços indiretos de desenvolvimento, quer de processos, quer de produtos”.

Segundo o responsável, o crescimento da atividade previsto em Braga deverá levar à contratação de “cerca de 800 a 1.000 pessoas até ao final de 2023”.

O grupo alemão Bosch anunciou hoje que a faturação em Portugal aumentou 5% em 2021 face a 2020, para 1.700 milhões de euros, pretendendo o grupo alemão investir um total de 100 milhões de euros e contratar mais 350 trabalhadores este ano.

Comentários

topo