Vila Verde

Auditoria confirma dívida de 89 mil euros na junta da Ribeira do Neiva

(c) Semanário V
Partilhe esta notícia!

A Assembleia de freguesia da Ribeira do Neiva reuniu esta quinta-feira em reunião extraordinária com o intuito de apresentar o relatório da auditoria de contas pedida pelo atual executivo, após, em Assembleia da eleição da junta de freguesia José Azevedo, ter afirmado que a junta de freguesia transata, liderada por Carlos Machado tinha deixado 61 mil euros.

Após esse discurso deixou os ribeiraneivenses revoltados e houve até nega por parte de Carlos Machado, presidente da junta de freguesia cessante, na reunião da Assembleia de freguesia foi então debatida a apresentação do resultado da auditoria. A ordem de trabalhos passava pela leitura da ata anterior que foi aprovada.

Na reunião anterior Carlos Machado negou a dívida apresentada pelo atual executivo de cerca de 90 mil euros sendo que a maioria é a três fornecedores. Candy Costa fazia parte do executivo que deixou a dívida mas em reunião afirmou que a situação ficou descontrolada quando foi de férias em agosto, sendo que quando voltou notou que haviam inúmeras faturas sem o seu conhecimento. A dívida de mais de 90 mil euros foi apresentada pela auditoria feita às contas do executivo. Carlos Machado falou ainda que quando tomou posse herdou a junta de freguesia estava um saldo negativo de 50 mil euros na junta de freguesia de Duas Igrejas ao qual o atual presidente da União de Freguesias da Ribeira do Neiva José Azevedo, sendo que este, em defesa da honra, negou a dívida que Carlos Machado o acusava de ter deixado em mãos à junta de freguesia há 8 anos atrás.

José Azevedo em intervenção disse que a junta anterior fez faturação e despesa “não refletida”, sem dar garantia aos fornecedores e a junta atual quer pagar aos fornecedores e as pessoas que trabalharam para a freguesia deve receber o seu pagamento. “Houve uma falha, não sou juiz, mas houve uma falha”, as faturas até 2500 euros serão pagas de imediato e foram aconselhados a pagar as maiores faturas com revisão da dívida. A maior fatura é de mais de 40 mil euros só a um fornecedor e essa dívida tem que ser revista e paga em prestações, sendo que só a assembleia de freguesia pode por unanimidade dar andamento ao processo. Com a falta de Carlos Machado o acordo não pode ser fechado pois não há unanimidade entre todos os deputados.

Comentários

topo