Braga

PSP de Braga comemora 145 anos

(C) PSP
Partilhe esta notícia!

O Comando Distrital da PSP de Braga rececionou em 2021, 1.630 armas, recebeu 5.202 denúncias em contexto de criminalidade geral e fez 559 detenções, números hoje divulgados no âmbito das comemorações, na segunda-feira, do seu 145.º aniversário.

O Comando Distrital compreende duas Divisões Policiais de Braga e Guimarães, compostas por valências de segurança e ordem públicas, trânsito, investigação criminal, armas e explosivos, ambiente, segurança privada e informações policiais, esclarece o comunicado da Polícia.

Sobre os números destacados, a PSP relata sobre as armas rececionadas que ocorreram no âmbito de campanhas para entrega voluntária, que as estatísticas das denúncias representam uma diminuição de 5% face ao período anterior, enquanto as detenções subiram 7%.

Outros números dão conta que até 31 de dezembro de 2021 estiveram “6.907 polícias empenhados no policiamento a eventos desportivos, nomeadamente de futebol, com principal destaque para os jogos realizados nos estádios afetos aos clubes que disputam as duas principais Ligas de Futebol profissional em Portugal [Sporting de Braga e Vitória de Guimarães], bem como foram feitas “272 ações de sensibilização nas 142 escolas existentes na sua área de responsabilidade e 172 junto de idosos”.

Neste capítulo, aquele comando distrital contabilizou ainda o acompanhamento de “350 idosos” por polícias afetos ao policiamento de proximidade.

A PSP realça também os protocolos com Associação Académica da Universidade do Minho para o desenvolvimento de ações promotoras de segurança junto da comunidade universitária e, também com a Pastoral Universitária de Braga, em conjunto com a Comissão de Proteção ao Idoso, na ótica de uma intervenção conjunta e integrada, por forma a melhorar as competências dos idosos, promovendo e apoiando a sua independência e autonomia.

Numa síntese histórica, o comunicado recorda que PSP, outrora Polícia Cívica, surgiu em Braga em 30 de maio de 1877, por decisão da Junta Geral do Distrito, dez anos após a promulgação da Carta de Lei, de D. Luís I, onde se autoriza a criação de um Corpo de Polícia Civil nas cidades de Lisboa e do Porto, assim como nas capitais dos diversos distritos.

Com Agência LUSA

Comentários

topo