Desporto

Portugal goleia Bielorrússia e está com um ‘pé’ no ‘Euro’ de sub-21

Partilhe esta notícia!

Portugal deu hoje um passo quase decisivo para a qualificação para o Campeonato da Europa de futebol de sub-21, em 2023, ao golear a Bielorrússia por 5-1, coroando uma bela exibição dos jovens lusos.

Em jogo realizado em campo neutro, na Arménia, por sanção à equipa da casa por causa do envolvimento da Bielorrússia na invasão da Rússia à Ucrânia, Fábio Vieira ‘bisou’ na partida, aos 33 e 56 minutos (este de penálti), Gonçalo Ramos marcou pelo meio (50), David da Costa, na sua estreia, fez o quarto (79) e Vítor Oliveira o quinto (90+4), tendo Vasilevich feito o golo de ‘honra’ da Bielorrússia pouco antes (90).

Com este triunfo categórico e que só peca por escasso, Portugal solidifica a liderança do grupo D, com 22 pontos, mais cinco que o segundo classificado, a Grécia, podendo carimbar a qualificação para o ‘Euro’ de sub-21 já na terça-feira, em Vaduz, em caso de vitória sobre o Liechtenstein.

No ‘onze’ português, destaque para as estreias absolutas do guarda-redes Samuel Soares e do defesa esquerdo Rafael Rodrigues, ambos do Benfica.

Portugal mostrou superioridade quase absoluta e, não fosse a exibição do guarda-redes da Bielorrússia, Makavchik, tinha ido para o intervalo com uma vantagem mais robusta.

O duelo entre o guardião contrário e os jogadores portugueses começou logo aos cinco minutos, com Henrique Araújo, isolado por um grande passe de André Almeida, a obrigar Makavchik a uma grande defesa.

Aos 18 minutos, foi Gonçalo Ramos, após um bom trabalho na área, a colocar Makavchik em ação e, no mesmo minuto, Henrique Araújo, de cabeça, após bom cruzamento de Rafael Rodrigues da esquerda, viu o ‘capitão’ adversário a negar o golo português com uma defesa a dois tempos.

Makavchik, que se lesionou neste lance, o que ditaria a sua saída ao intervalo, fez nova grande defesa a cabeceamento de Gonçalo Ramos (28) e, dois minutos depois, parou um livre direto de Fábio Vieira.

De tanto porfiar, a turma de Rui Jorge conseguiu, finalmente, chegar ao golo: recuperação de Fábio Carvalho, toque rápido de Gonçalo Ramos para Fábio Vieira rematar de pé direito, o seu ‘pior’ pé, de fora da área, para o golo.

A única ocasião clara de golo da Bielorrússia surgiu aos 40 minutos e de livre direto, com Zherdev a quase enganar Samuel Soares, mas o guardião luso ainda foi a tempo de desviar o remate surpresa para o poste.

A figura da Bielorrússia saiu ao intervalo, lesionado, numa de três substituições que o selecionador bielorrusso fez na reabertura, mas Portugal fez o segundo golo bem cedo na segunda parte (50) e ‘matou’ aí o jogo.

João Mário rompeu pelo lado direito e cruzou com conta, peso e medida para um belo cabeceamento de Gonçalo Ramos, que fez o seu 10.º golo nesta fase de qualificação.

Pouco depois, Fábio Carvalho foi derrubado na área e Fábio Vieira converteu a respetiva grande penalidade, agora com o ‘seu’ pé esquerdo, fazendo o terceiro golo de Portugal (56).

David da Costa (mais uma estreia), Francisco Conceição e Paulo Bernardo entraram pouco depois da hora de jogo, refrescando a equipa (sendo que Fábio Vieira saiu tocado).

O jogo caiu naturalmente de ritmo, com Portugal a continuar a dominar por completo da partida.

João Mário atirou ao poste aos 78 minutos e, logo a seguir, Rui Jorge fez as últimas substituições lançando José Carlos (mais uma estreia) e Vítor Oliveira.

Poucos segundos depois de estar em campo, o ponta-de-lança do Sporting de Braga, ao seu jeito lutador, recuperou uma bola e serviu Francisco Conceição, que, depois, assistiu David da Costa para o avançado do Lens fazer o quarto golo de Portugal (79).

Vasilevich, após uma boa iniciativa individual, conseguiu bater Samuel Soares (90) – apenas o segundo golo sofrido por Portugal nesta fase de qualificação -, mas, no último lance do jogo, Vitinha, com um excelente remate de fora da área, sentenciou o resultado final (90+4).

Depois da deslocação ao principado do Liechtenstein, Portugal termina o grupo D a 11 de junho (sábado), em Barcelos, defrontando a Grécia.

Comentários

topo