Vila Verde

Lixo aos montes em Cabanelas e Vila de Prado é ‘cartão de visita’ de Vila Verde

(c) Carlos Dobreira
Partilhe esta notícia!

O concelho de Vila Verde vive uma tragédia ecológica e ambiental sem precedentes, associando-se ainda uma vaga de imundície e falhas graves na separação de resíduos.

“Ao início da tarde, em Cabanelas era possível observar resíduos recicláveis, perigosos, resíduos de construção e demolição e lixo indiferenciado junto a ecopontos localizados na N205 (junto à rua de Trás-Outeiro) e na rua de Portuzelo. Destaque para muito cartão, garrafas de vidro, plásticos, entulho, artigos de higiene e de limpeza, baldes, tubos, assentos, bidões de produtos químicos. Já na Vila de Prado, no início do acesso à Igreja Matriz através da Avenida Dr. Domingos Peixoto Costa e Silva, era possível observar um cenário de cheiros nauseabundos provenientes de sacos localizados junto a um pilhão, resíduos recicláveis (com destaque para caixas de cartão, garrafas de vidro) e sobrelotação de ecopontos”, escreve Carlos Dobreira em comunicado ao Semanário V.

O exposto é dado a conhecer à BRAVAL e à Câmara Municipal de Vila Verde.

“O concelho de Vila Verde não tem uma política ambiciosa e musculada no que respeita à educação ambiental, sendo ainda caracterizado por insuficiência de ecopontos na maioria das freguesias e um sistema obsoleto de recolha de resíduos através da contentorização”, conclui o ambientalista.

Comentários

topo