Vila Verde

Vila Verde recebe exposição de fotos ‘arrepiantes’ de Chernobyl

(c) Município de Vila Verde
Partilhe esta notícia!

Chernobyl 36+ é uma exposição de 76 fotografias tiradas exatamente 30 anos depois do maior acidente nuclear da história, que ocorreu na central nuclear de Chernobyl, hoje Ucrânia.

As fotografias são sobretudo das ruínas da cidade de Pripyat, a cidade que foi construída para albergar os trabalhadores da central, e que chegou a ter perto de 50 mil habitantes. Após o acidente nuclear, foi evacuada e abandonada. O acidente levou mesmo à criação de uma Zona de Exclusão com uma área de 2.600km2, ou seja, uma área ligeiramente maior do que as regiões do Vale do Cávado e Vale do Ave em conjunto.

As fotografias desta exposição foram tiradas no dia 30.4.2016, num intervalo de tempo de cerca de 4 horas. Retratam as paisagens radiativas de uma cidade que já não o é, onde o tempo está aparentemente parado: espaços públicos, ruas e avenidas, monumentos, equipamentos desportivos como o estádio, a piscina e o ginásio, o parque de diversões, com os carrinhos de choque e a roda gigante, jardins infantis e escolas, edifícios importantes como o hotel, o restaurante, o supermercado ou o café, e as suas envolvências. Muitos materiais foram já mexidos e remexidos por “exploradores” urbanos e de ruínas, e livros e bonecos de peluche, diversos fragmentos e objetos foram dispostos tendo em mente, propositadamente, o olhar do visitante, do turista, do fotógrafo, preparando, construindo e influenciando estéticas e olhares.

As fotografias despertam hoje novos entendimentos desta ruína, podendo-nos levar a refletir, sob outros prismas, no papel das centrais nucleares e das infraestruturas que albergam materiais radioativos em contextos de guerra.
A exposição inclui ainda um conjunto de mapas que levam o visitante a mergulhar nas cartografias do império soviético, na sua desintegração, na Ucrânia e no território de Chernobyl.
João Sarmento é geógrafo, professor no Departamento de Geografia do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho e investigador no Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade. Foi professor visitante na Universidade de Taras Shevchenko em Kiev durante todo o mês de abril de 2016. É um entusiasta da fotografia.

Comentários

topo