VFactory

Apostas desportivas e eSports contribuem para a ascensão da indústria do Jogo online

Partilhe esta notícia!

Ao contrário do que acontece em muitas outras indústrias, o Jogo online na Europa continua a crescer.

De acordo com o relatório da European Gaming and Betting Association (EGBA) relativo a 2021, estimava-se que a receita total de jogos online na Europa crescer 19% face a 2020.

No mesmo relatório lê-se que o organismo europeu que regula o jogo e as apostas online no continente espera que o crescimento do jogo online na Europa experimente uma aceleração, com a sua receita bruta a crescer 9% por ano até atingir um pico de 41% em 2026.

Para este fenómeno de crescimento em muito contribuirá a popularidade do uso de dispositivos móveis para jogar e apostar online que, em 2021, representaram, pela primeira vez, a fatia de leão das apostas online da Europa.

Espera-se que o uso de dispositivos móveis alcance uma percentagem de 61,5% em todas as apostas online até 2026.

Trajetória de crescimento é visível, também, em Portugal

Segundo o último relatório do Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), entidade que supervisiona e regula a atividade de jogo online em Portugal, relativo ao primeiro trimestre deste ano, o setor registou um aumento de 12,4% na receita bruta de jogos e apostas online no total dos primeiros três meses de 2022, em relação ao 4º trimestre de 2021.

À semelhança do que acontece nos outros países europeus, o grosso do volume de apostas em Portugal pertence aos jogos de casino online, mas o valor das receitas brutas e, sobretudo, a preferência da maioria dos apostadores vai para as apostas desportivas.

No 1º trimestre deste ano, os jogos de casino contabilizaram um total de 2,2 mil milhões de euros em volume de apostas e as apostas desportivas online 369 milhões de euros, enquanto no que toca às receitas brutas, os jogos de casino registavam 80,9 milhões de euros em contraponto com os mais próximos 77,7 milhões das apostas desportivas, sendo que durante o primeiro semestre 2021 a categoria das apostas desportivas online se situou acima da categoria dos jogos de casino no que toca a receitas brutas.

Apostas desportivas continuam a ser a preferência dos portugueses

A importância das apostas desportivas na dinamização do setor do Jogo online em Portugal é ainda mais evidente quando se olha aos números relativos às preferências dos apostadores portugueses.

Tal como já vem acontecendo desde há largos anos, a categoria das apostas desportivas captou 35,9% dos apostadores em contraponto com os 31,6% da categoria de jogos de casino. 32,5% jogaram nas duas categorias.

De referir que, em Portugal, das 15 entidades licenciadas apenas 11 entidades têm licença para a exploração de apostas desportivas, como o caso da Solverde.pt, marca do Grupo Solverde, com licença para apostas desportivas online, também muito conhecido pelos seus jogos de casino online.

A realidade das apostas eSports

Se as apostas desportivas online e, mais concretamente, o Futebol (quase 70% das apostas desportivas pertencem a esta modalidade segundo os dados do SRIJ) ajudam a moldar um presente que vai sendo de celebração para operadores e governos um pouco por toda a Europa, há um fenómeno que, apesar de ainda não estar legalizado em Portugal, pode vir a marcar a paisagem do Jogo online num futuro próximo: as apostas em eSports.

De acordo com o relatório ‘Let’s Play! 2021’, conduzido pela consultora Deloitte, os eSports alcançaram uma receita total de dois mil milhões de euros em 2020, um aumento de 116% em relação a 2019, e as perspetivas eram de crescimento para 2021.

Polónia com uma taxa de penetração de 52%, Espanha com 49% e Itália com 48% são os baluartes dos eSports na Europa.

No total europeu, cerca de metade de todos os consumidores afirmaram que já assistiram a competições de desporto eletrónico pelo menos uma vez no passado e cerca de um em cada três consumidores a confirmar que consome este tipo de conteúdo regularmente.

Os consumidores mais frequentes de eSports são a geração Y (pessoas nascidas entre 1981 e 1996) e a Geração Z (pessoas nascidas entre 1997 e 2012). No entanto, ao contrário de muitas suposições, não é a geração mais jovem que mais os consome, mas sim pessoas entre 26 e 40 anos de idade com uma educação superior.

Outra das revelações do relatório diz que 9% dos consumidores participaram em eventos de eSports ao vivo em 2021, 16% pagaram para assisti-los na televisão paga e 25% assistiram gratuitamente na TV. Já 17% do público admite que consome eSports via streaming e 49% afirma que este também é o canal preferido para consumi-los.

Comentários

topo