Braga

Semibreve: Um dos melhores festivais de música de Braga está de volta

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O festival de música eletrónica e arte digital Semibreve regressa a Braga, de 27 a 30 de outubro, com as estreias em Portugal de François J. Bonnet e Stephen O’Malley, e com instalações, conversas e ‘workshops’, anunciou hoje a organização.

A organização daquele festival, que vai decorrer em diversos locais da cidade de Braga, refere que o cartaz de 2022 inclui também estreias no Semibreve como o britânico Maxwell Sterling, e nomes já conhecidos de outras edições, como Caterina Barbieri, de acordo com o comunicado enviado à agência Lusa.

Além da música, o Semibreve integra um prémio internacional, que visa distinguir “e estimular a criação artística no domínio da intersecção entre arte e tecnologia”, o Edigma Semibreve Award, com um valor de 2500 euros, terminando hoje o prazo de inscrição para este concurso.

A compositora italiana Caterina Barbieri está de regresso ao Semibreve, onde já atuou em 2018, para apresentar o novo disco, “Spirit Exit”, com contribuições dos artistas visuais Marcel Weber (MFO) e Ruben Spini.

O Semibreve traz pela primeira vez a Portugal – salienta a organização – o “duo composto pelo músico e compositor eletroacústico franco-suíço François J. Bonnet e Stephen O’Malley, guitarrista, produtor e compositor norte-americano, conhecido pelo seu trabalho com a banda Sunn O))), que dará a conhecer o aclamado ‘Cylene’ (Editions Mego, 2019) em palco”.

O cartaz conta também com a estreia no Semibreve do britânico Maxwell Sterling, com um espetáculo audiovisual especial com o artista visual Stephen McLaughlin, baseado nos mais recentes trabalhos “Turn of Phrase” e “Hollywood Medieval”.

Já o duo norte-americano Lea Bertucci & Ben Vida vai “apresentar material do seu trabalho colaborativo baseado em síntese modular e manipulação de fita magnética, que brilhantemente transpuseram para disco em ‘Mumurations’, trabalho editado este ano pela Cibachrome editions”.

Entre últimas confirmações do programa de música do festival, refere o texto, está também David Maranha, músico português “que, ao longo das últimas décadas, tem trilhado de forma singular os territórios da música experimental, tendo colaborado com nomes como Phill Niblock, Z’EV, Chris Corsano, David Grubbs ou Carla Bozulich, entre muitos outros”.

O Semibreve 2022 vai ainda apresentar o compositor e artista visual alemão Alva Noto, os portugueses Drumming GP, com o produtor alemão Burnt Friedman, a compositora e fundadora da editora Shelter Press, Félicia Atkinson, com a flautista e artista portuguesa Violeta Azevedo; Malcolm Pardon, ‘metade’ dos suecos Roll the Disse, o produtor alemão Jan Jelinek e o queniano, KMRU.

A edição de 2022 conta ainda com o regresso do programa de ‘clubbing’, que receberá Jana Rush, norte-americana com raízes no ‘footwork’ de Chicago, Gábor Lázar, a produtora portuguesa Bleid e ainda uma “noite especial” dedicada aos 10 anos da editora portuguesa Príncipe Discos, com um concerto de Xexa e Dj sets de DJ Marfox e DJ Kolt.

Comentários

topo