Mundo

União Europeia abre na Polónia plataforma para acolher doentes ucranianos

Partilhe esta notícia!

O comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic, abriu hoje, em Rzeszów, na Polónia, a nova plataforma médica Medevac da União Europeia (UE) para acolher doentes ucranianos que necessitem de ser transferidos do país.

A plataforma é financiada através do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia (UE) e faz parte de um sistema mais vasto de transferência médica lançado pela UE em março último.

A plataforma oferecerá um espaço seguro para os doentes que chegam da Ucrânia, antes de serem transportados para receber tratamento num hospital noutro país europeu e providencia, 24 horas por dia, cuidados de enfermagem, rastreio de doenças, vacinação e apoio à saúde mental.

O sistema de evacuação médica inclui dois voos por semana oferecidos pela Noruega e o transporte de doentes de Rzeszów para países que proporcionam tratamento posterior.

Para aliviar a pressão da chegada de pacientes a países vizinho da Ucrânia causada pela invasão da Rússia, 18 Estados-membros, incluindo Portugal, receberam já, desde 11 de março, 1.143 ucranianos a necessitar de intervenção médica.

A Rússia lançou uma ofensiva militar contra a Ucrânia em 24 de fevereiro originado uma crise de refugiados que a ONU classifica como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa – justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que está a responder com o envio de armamento para a Ucrânia e a imposição à Rússia de sanções que atingem praticamente todos os setores, da banca à energia e ao desporto.

Comentários

topo