Guimarães

Guimarães assinalou 100 anos da Travessia Aérea do Atlântico Sul

(c) Município de Guimarães
Partilhe esta notícia!

Homenagem a Gago Coutinho e Sacadura Cabral, os dois aviadores que completaram a primeira Travessia Aérea do Atlântico Sul em 1922, foi assinalada esta sexta-feira em Guimarães no âmbito das comemorações do centenário desta efeméride, com o sobrevoo de F16 em homenagem aos Aviadores.

A cerimónia ficou marcada com a homenagem junto à escultura conhecida como Penedo dos Aviadores, localizada na Montanha da Penha, da autoria do escultor José Luís de Pina (inaugurada em 1927), e com as presenças do Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, do Tenente-General Rafael Martins, Presidente da Comissão Histórico-Cultural da Força Aérea (CHCFA), representantes da Comissão Aeronaval 100TAAS e Roriz Mendes, Juiz da Irmandade da Penha.

O Presidente da Câmara de Guimarães, Domingos Bragança, destacou a “ousadia e coragem” dos heróis da aviação, mas também a capacidade de “integrarem sabedoria com novos conhecimentos” para a realização de tamanho “feito heroico”. “Gago Coutinho e Sacadura Cabral mostraram coragem, audácia e ainda o espírito de fazer mais, através da inspiração que está enraizada na história de Guimarães, onde aconteceu a fundação de Portugal e se iniciou conquista do território nacional”, salientou. “Neste dia em que estamos a homenagear os dois navegadores, somos inspirados a fazer novas conquistas e com integração de ciência, de conhecimento e cultura. Vamos continuar a seguir o exemplo dos dois heróis para abrir os horizontes de futuro”, salientou Domingos Bragança.

O Juiz da Irmandade da Penha, Roriz Mendes, mencionou que o feito da Travessia Aérea do Atlântico Sul “é tão importante como a chegada do Homem à Lua na década 60 do século passado”. E Guimarães cedo prestou o reconhecimento. “Uma semana após completar a travessia, em Guimarães, no Largo do Toural, já circulava um protótipo para celebrar tão feito heroico”, referiu Roriz Mendes.

O Tenente-General Rafael Martins, Presidente da Comissão Histórico-Cultural da Força Aérea (CHCFA), evidenciou na sua intervenção o “feito que orgulha todos os portugueses” e sublinhou o “reconhecimento e entusiasmo que Guimarães abraçou muito cedo, através de uma subscrição pública para a construção de um monumento em homenagem aos aviadores, inaugurado em 1927”. O Tenente-General fez questão de “celebrar os vimaranenses pelo compromisso e exaltação dos nossos heróis, constituindo-se como os verdadeiros guardiões de memória coletiva garantindo que as próximas gerações manterão vivo o espírito da travessia e dos marinheiros aviadores”.

O programa das comemorações contempla ainda a Exposição Itinerante dos 100 anos da Travessia Aérea do Atlântico Sul (TAAS), que está patente no GuimarãesShopping, e prolonga-se ainda entre os dias 10 a 13 de setembro, com realce para a Peregrinação ao Santuário da Penha e ainda o Concerto da Banda da Força Aérea.

Comentários

topo