Vila Verde

Ecovia que liga Soutelo à Vila de Prado em estado de abandono

(C) Semanário V
Partilhe esta notícia!

Vila Verde está na cauda dos concelhos do Minho que tem menos ecovias e onde o aproveitamento das zonas ribeirinhas é menos conseguida, seguindo políticas que no ponto de vista dos cidadãos “está longe da mentalidade de outros concelhos, com quilómetros de ecovias, percursos pedestres, ciclovias e outras infraestruturas ambientais de relevo”.

Vila Verde é o concelho do Minho com menos ecovias e aproveitamento fluvial

Vila Verde está na cauda dos concelhos do Minho que tem menos ecovias e onde o aproveitamento das zonas ribeirinhas é menos conseguida, seguindo políticas que no ponto de vista dos cidadãos “está longe da mentalidade de outros concelhos, com quilómetros de ecovias, percursos pedestres, ciclovias e outras infraestruturas ambientais de relevo”.

“Vila Verde, uma miríada de socalcos verdes e de ravinas que despejam sobre o Homem e o Neiva, aguarda o cumprimento de promessas que todos fizeram, mas que só alguns são convidados a cumprir. Vila Verde é no seu género, é um dos concelhos, politicamente mais diversificados e paradoxais. Praticamente sem indústria de relevo, marcado por uma agricultura do mais genuíno regime de subsistência. Esquecida ao longo dos tempos, por tudo e por todos, esta terra é um manancial de motivos para desenvolver nas páginas dos jornais concelhios e regionais. Concelho grande na nobreza do seu povo, na valentia do seu passado, dando muitos dos seus melhores homens para a guerra colonial, um concelho muito pobre no seu desenvolvimento, carecido que está de quase tudo. Os anos vão passando, e esta terra continua adormecida, qual réptil em hibernação, aguardando a vinda de um messias qualquer que a acorde finalmente. Trocou-se momentos culturais como a Feira do Livro, o Desfile de Carnaval, por passeatas para alguns. Temas que deveriam ser tratados nos ditos órgãos de comunicação social. Cabe-lhes o papel de lançar gritos de alerta, dar voz e lançar dados recolhidos das sagradas reivindicações de um povo ainda colonizado. Longe das querelas partidárias, ou ambições pessoais, devem assumir sempre a responsabilidade do que for escrito e apenas admitimos como juiz dos nossos ditos o povo desta terra E se com esses textos, os vindouros poderem beneficiar, dar-se-á por bem empregue o tempo que se vai gastar. Certamente virá o dia, em que o vento não levará as palavras”, escreve um cidadão em depoimento que mereceu muitos elogios da opinião pública.

A ecovia em Soutelo que passa no Porto Carrero começou a ser feita com o projeto apresentado pela Câmara Municipal em consonância com a junta de freguesia. Os trabalhados arrancaram com o rasgo da estrada que liga a EN 101 à praia fluvial de Porto Carrero usando a via mais à direita para dar início à ecovia que quer ligar as praias fluviais de Vila Verde.
Com as obras já a decorrer, sabe o Semanário V, que houve uma reunião com o presidente da Câmara António Vilela, Filipe Silva presidente da junta de freguesia e alguns populares que alertam para o facto de, com a ecovia, seria impossível o cruzamento entre dois automóveis pesados e na época balnear o estacionamento seria um caos.
Depois da reunião a obra parou e deu-se início para uma alternativa ao projeto inicial.

Iniciou a nova rota da ecovia

A ecovia vai agora seguir pela zona do parque de lazer de Soutelo, entre campos e lotes, para não prejudicar o trânsito na rua que assim fica ainda com os rasgos provocados pelo início dos trabalhos.

Fotos: Semanário V

Atualmente a ecovia está cheia de ervas e mato e os utilizadores não conseguem passar pelo troço e as obras estão atrasadas dado o estado da ecovia em muitos pontos na freguesia de Soutelo junto ao Rio Homem.

Comentários

topo