País

GNR arranca com “Operação Todos os Santos” para diminuir sinistralidade rodoviária

Partilhe esta notícia!

A GNR vai intensificar, entre sexta-feira e 01 de novembro, dia de Todos os Santos, o patrulhamento nas estradas com maior tráfego, num ano em que já se registaram 61.313 acidentes, mais 13% do que em 2021.

A “Operação Todos os Santos 2022”, adianta a GNR, tem o “objetivo de combater a criminalidade e reduzir situações que configurem comportamentos de risco, a sinistralidade rodoviária, para além de garantir o apoio a todos os utentes das vias e a segurança e tranquilidade públicas”.

De acordo com dados avançados pela Guarda Nacional Republicana (GNR), no período da operação “Todos os Santos” de 2019 a 2021, ocorreram 3.252 acidentes de viação dos quais resultaram 19 vítimas mortais, 81 feridos graves e 1.030 ligeiros.

Durante o mesmo período temporal, os distritos com maior sinistralidade rodoviária registada foram o do Porto, seguido de Faro, Aveiro, Braga, Lisboa, Setúbal e Santarém.

Durante todo o período da “Operação de Todos os Santos 2022”, em que se prevê uma grande intensidade de tráfego rodoviário, a GNR “pretende garantir uma ação coordenada de policiamento geral e combate à criminalidade, de patrulhamento e fiscalização rodoviária e que as deslocações se façam em segurança, contribuindo assim para uma redução dos números da sinistralidade rodoviária”.

“O combate à sinistralidade rodoviária continua a assumir-se como uma prioridade estratégica para a GNR, e nesse sentido, a guarda apela a que os condutores efetuem uma condução prudente e que cumpram as regras de trânsito, especialmente no que respeita às manobras de ultrapassagem, mudança de direção, inversão do sentido de marcha, cedência de passagem e posição de marcha.

A GNR recomenda ainda a utilização correta do cinto de segurança e dos sistemas de retenção para crianças, bem como a não utilização dos telemóveis durante a condução, adequar a velocidade ao tipo de estradas e às condições de circulação e não ingerir bebidas alcoólicas, nem consumir substâncias psicotrópicas.

Comentários

topo