País

46% dos portugueses dispostos a tornar as suas compras diárias mais sustentáveis

Partilhe esta notícia!

Quando se trata de dar prioridade à sustentabilidade ambiental, segundo o estudo Observador Cetelem Consumo Sustentável 2022, quase metade dos portugueses inquiridos procuram fazê-lo nas compras relacionadas com as despesas diárias e mercearias (46%). Analisando as respostas por faixa etária, conclui-se que são os inquiridos dos 18 aos 44 anos os que estão mais dispostos a tornar as suas compras diárias mais sustentáveis (média de 51%), assim como os residentes nas Áreas Metropolitanas do Porto (54%) e de Lisboa (50%).

Já 31% dos entrevistados dão mais prioridade à sustentabilidade na compra de grandes e pequenos eletrodomésticos, sendo visível uma discrepância na primazia dada pelos inquiridos do Centro, em que apenas 15% dizem dar prioridade à sustentabilidade nesta categoria, e os inquiridos das regiões Norte e Sul (36% respetivamente).

Relativamente à priorização da sustentabilidade no que toca à mobilidade, por exemplo, através da escolha de veículos elétricos ou híbridos, 22% dos portugueses inquiridos dizem fazê-lo, principalmente, os mais novos (28%), com os inquiridos dos 65 aos 74 anos a admitir que a sustentabilidade não é, de todo, uma prioridade para eles nesta categoria (68%).

Já 21% dos portugueses dão prioridade à sustentabilidade nos investimentos a longo-prazo, como remodelações, colocação de painéis solares, entre outros, observando-se uma diferença significativa entre as opiniões dos inquiridos que residem na zona do Porto (39%) e aqueles que residem na zona de Lisboa (7%).

Principais barreiras para o consumo sustentável

Apesar de serem muitas as pessoas que tencionam adotar um consumo mais sustentável, existem ainda algumas barreiras que não possibilitam essa transição imediata. O estudo Observador Cetelem Consumo Sustentável revela isso mesmo ao concluir que a grande barreira à compra de produtos sustentáveis é o preço. Isto é unânime, em todas as categorias – na mobilidade (67%), nos grandes e pequenos eletrodomésticos (66%), nos investimentos a longo prazo (65%) e nas despesas diárias e de mercearia (62%).

Contudo, existem algumas exceções. Por exemplo, em produtos sustentáveis mais dispendiosos, o possível retorno futuro que estes possam ter é o principal motivador de compra deste tipo de produtos (42%). Já 29% dos inquiridos indicam que o seu principal motivador de compra de produtos ambientalmente mais sustentáveis é o facto de o produto ser um investimento a longo prazo e 21% mencionam o facto de poderem ter apoio financeiro para a sua aquisição.

Metodologia

O inquérito quantitativo Observador Cetelem Consumo Sustentável foi realizado pela empresa de estudos de mercado NielsenIQ. Este teve como target indivíduos de ambos os géneros, de idades compreendidas entre os 18 e os 74 anos, residentes em Portugal Continental. O estudo foi conduzido através de entrevistas telefónicas assistidas por Computador (CATI). No total foram feitas 1000 entrevistas representativas da população – amostra estratificada por Distrito; Género e Idade, para assegurar a representatividade da população portuguesa. O erro máximo associado é de +/- 3.1 p.p. para um intervalo de confiança de 95%. As entrevistas foram conduzidas por uma equipa de entrevistadores da NielsenIQ, que receberam treino específico para o presente estudo, por intermédio de questionário estruturado de perguntas fechadas e semi-fechadas com a duração máxima de 12 minutos. O trabalho de campo decorreu entre 28 de setembro e 13 de outubro.

Sobre o Cetelem

Cetelem é uma marca do BNP Paribas Personal Finance, entidade especialista em crédito ao consumo do Grupo BNP Paribas. Líder europeu no sector, está presente em mais de 30 países de 4 continentes, empregando mais de 20 mil pessoas. Em Portugal desde 1993, tem como propósito promover o acesso a um consumo mais responsável e sustentável para apoiar clientes e parceiros. Uma missão diária de mais de 600 colaboradores – especialistas em crédito pessoal, financiamento automóvel, cartões de crédito e seguros. Produtos subscritos por milhões de clientes no site, na app, por telefone, nas lojas ou num dos 3800 estabelecimentos de parceiros.

Comentários

topo