Braga

Vitinha sela reviravolta do Braga em Portimão com final caótico

Partilhe esta notícia!

O Sporting de Braga bateu hoje o Portimonense (2-1), voltando às vitórias na I Liga de futebol, com uma reviravolta confirmada por Vitinha (83 minutos), mas, nos descontos, os algarvios falharam um penálti e dois bracarenses foram expulsos.

No encontro da 13.ª jornada, a equipa da casa abriu o marcador por Ouattara (40 minutos) e os minhotos deram a volta na segunda parte, com tentos de Iuri Medeiros (65, de grande penalidade) e Vitinha.

O final da partida, que teve um total de 15 minutos de compensação, foi verdadeiramente caótico, devido a um lance de grande penalidade para o Portimonense, aos 90+5, que originou as expulsões dos centrais bracarenses Tormena e Paulo Oliveira e que Paulo Estrela acabaria por desperdiçar (90+12).

Com a pausa para a realização do Mundial2022 pela frente, o Sporting de Braga vai passar o próximo mês no terceiro lugar, com 28 pontos, menos um do que o FC Porto, enquanto o Portimonense ocupa, ainda à condição, o sétimo posto, com 19.

No Portimonense, o treinador Paulo Sérgio manteve o mesmo ‘onze’ da vitória (2-1) no terreno do Gil Vicente, na jornada anterior, enquanto, nos bracarenses, Artur Jorge operou quatro alterações à equipa derrotada pelo Casa Pia (0-1) há uma semana.

A disposição ofensiva dos bracarenses fez-se sentir desde cedo na partida, juntando a pressão alta ao envolvimento de vários jogadores no ataque, especialmente pela direita, onde Iuri Medeiros, o criativo ‘de serviço’, mostrava a sua qualidade técnica.

O ala-direito do Sporting de Braga deu ele mesmo o mote do ataque à baliza dos locais, com um remate em jeito com o pé esquerdo que passou a poucos centímetros do poste direito, aos sete minutos.

Iago Cariello tentou responder, sem perigo, e os forasteiros continuaram com um claro ascendente, travado ‘apenas’ pela prestação do guardião japonês Nakamura, com excelentes defesas às ameaças de Ricardo Horta (13 e 20 minutos) e Tormena (20).

A meio da primeira metade, o ritmo dos minhotos decaiu de forma evidente e os algarvios começaram a libertar-se, mas o seu período de maior fulgor surgiu já mais perto do intervalo e, ao contrário do adversário, teve expressão no marcador.

Ao minuto 40, Yago Cariello desviou a bola para a barra após um remate de Anderson Oliveira e, segundos depois, o Portimonense voltou a ‘carregar’ pela direita: Moufi cruzou e Ouattara cabeceou para defesa de Matheus, respondendo mais rápido do que os defesas para assinar o seu primeiro golo no campeonato.

Anderson Oliveira teve nos pés o 2-0, após boa jogada de contra-ataque, mas rematou fraco, aos 43 minutos, enquanto Nakamura voltou a mostrar-se, ao evitar o golo de cabeça de Banza antes do regresso das duas equipas aos balneários (45+3).

O Sporting de Braga, com o sérvio Racic lançado para a segunda metade, voltou a pegar no comando da partida após o intervalo, tentando empurrar os algarvios para o seu terço defensivo sem grandes consequências.

Sem criar perigo de bola corrida nesta fase, os minhotos chegaram à igualdade de bola parada, numa grande penalidade que puniu mão de Diaby na área: Nakamura ainda adivinhou o lado, mas não conseguiu parar o remate certeiro de Iuri Medeiros (65 minutos).

Aos 83 minutos, a equipa de Artur Jorge deu a volta ao resultado após incursão pela direita e remate de Al Musrati, dentro da área, que Vitinha confirmou, quase em cima da linha de baliza, para o seu quinto golo na I Liga.

O Portimonense ‘acordou’ e pressionou os locais, até que surgiu o lance da grande penalidade (90+5), numa mão de Paulo Oliveira após cabeceamento de Ricardo Matos, que o árbitro Tiago Martins demorou vários minutos a confirmar, após ter sido alertado pelo vídeo-árbitro.

Pelo meio, Tormena protestou pela demora e foi expulso com vermelho direto, Paulo Oliveira levou ordem de expulsão com o segundo amarelo pela mão na bola e, na marcação da grande penalidade, já decorridos sete minutos após o lance, o médio Paulo Estrela desperdiçou incrivelmente o empate, atirando muito por cima.

Comentários

topo