Vila Verde

Júlia Fernandes valoriza trabalho feito no projeto Ponto de Fuga na Casa da Citânia

(c) CSVH
Partilhe esta notícia!

Júlia Fernandes, presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, visitou esta manhã o projeto Ponto de Fuga na Casa da Citânia, um projeto inovador, que alia a arte à saúde mental, num espaço criativo.

A presidente da Câmara Municipal de Vila Verde mostrou-se “muito satisfeita” com a visita e destacou “o trabalho extraordinário e a diferença que este projeto faz na vida daqueles que tanto precisam”.

“Estão a fazer aqui um trabalho extraordinário, um trabalho necessário e que é muito bom. É essencial e importante tirar estas pessoais do seu ambiente, criar um novo contexto, proporcionar-lhes estas atividades que fortalecem os laços e ao mesmo tempo estimulam as suas capacidades e a saúde mental”, disse Júlia Fernandes.

Fotos: CSVH

A presidente da Câmara Municipal de Vila Verde referiu que “estes contextos são muito favoráveis para eles, quer pelo ambiente em que eles estão integrados, mas também pelo relacionamento entre eles. Hoje, estão aqui duas instituições diferentes e isso também proporciona estes momentos de convívio, estas interações. É notório que eles adoram a música, estão felizes, a exercitar, a ter muitas atividades em que podem desenvolver determinadas competências e que nesta fase são fundamentais para o seu bem-estar físico e psicológico”.

Este é um projeto que a Câmara Municipal de Vila Verde pretende apoiar? “Este é um projeto que a Câmara Municipal decidiu apoiar. Numa deliberação muito recente atribuiu um subsídio ao Centro Social Vale do Homem para que este projeto possa ter continuidade. Na altura em que o projeto foi implementado, o Município, de facto, não esteve, mas, entretanto, e também percebendo que faz todo o sentido apoiar as instituições e apoiar este projeto já foi feita essa deliberação e está em curso o apoio à execução do projeto Ponto de Fuga”.

Júlia Fernandes diz-se “muito feliz” por apoiar o projeto, porque “sei que faz toda a diferença na vida destas pessoas. Estes momentos são muito importantes para a sua vida, para a sua felicidade. É muito importante que estes projetos estejam no terreno e cheguem àqueles que precisam destes momentos de carinho, de convívio e de estar aqui uns com os outros a partilhar estas experiencias”.

“O projeto Ponto de Fuga faz a diferença na vida daqueles que precisam destes cuidados, destes momentos e atividades. E as pessoas que fazem parte do projeto fazem um trabalho extraordinário”.
De salientar que do projeto fazem parte uma enfermeira especialista em saúde mental, uma terapeuta ocupacional, um psicólogo, uma monitora e ainda um professor de arte, para além de elementos dos parceiros comunitários: AECA (Amares), Grupo de Teatro de Balança (Terras Bouro) e D’ARTE (Vila Verde).

Comentários

topo