Guimarães

Alunos das escolas de Guimarães assinalaram Convenção dos Direitos das Crianças

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Os alunos dos diversos agrupamentos de escolas de Guimarães participaram na sessão do 33.º aniversário da Convenção Internacional sobre os Direitos das Crianças, que decorreu esta terça-feira, no auditório da Universidade do Minho.

O Presidente da Câmara de Municipal, Domingos Bragança, destacou o reconhecimento de Guimarães, pela UNICEF, como “Cidade Amiga das Crianças” e como “Cidade Educadora” no âmbito das políticas de educação desenvolvidas no território. “Guimarães é ainda a sede do maior laboratório de investigação que contribui no apoio para as crianças serem felizes através do Prochild”, acrescentou. Nesse sentido, sublinhou que “Guimarães está no caminho certo para criar a felicidade dos nossos jovens e crianças, sendo uma das primeiras condições o acesso à escola para adquirirem adquirem conhecimento. Sabemos que neste mundo há crianças que sofrem e não têm condições de felicidade e alegria. Aqui, em Guimarães, fazemos tudo para dar todas as condições às nossas crianças para serem felizes e transformarem-se em seres humanos excecionais. Todas as crianças do mundo têm o direito a aprender e serem felizes”, referiu Domingos Bragança na sessão de abertura.

A sessão do 33.º aniversário da Convenção Internacional sobre os Direitos das Crianças foi organizada pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Guimarães (CPCJ), em parceria com a Câmara Municipal. A presidente da CPCJ, Marta Pinto, realçou a importância da participação dos diversos agrupamentos escolares nesta iniciativa, permitindo “levar esta reflexão para partilhar em casa com as famílias na sequência das representações que assistimos e ajudam a cumprir os direitos das crianças e jovens, através da liberdade de expressão e pensamento”, constatou.

Esta iniciativa contou com momentos culturais protagonizados por alunos do Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar, nas várias vertentes artísticas desde a música, dança, guitarra ao teatro, contribuindo assim para a reflexão geral sobre os direitos da criança, a promoção do bem-estar de todos os cidadãos e em particular das crianças, e o desenvolvimento das comunidades, tanto no presente como no futuro.

No final da sessão foram entregues puzzles a todos os Agrupamento de Escolas de Guimarães.

Comentários

topo