Vila Verde

Filipe Melo perde força na distrital do Chega Braga após ‘escândalo’ em Vila Verde

Partilhe esta notícia!

O presidente da concelhia do Chega em Vila Verde, Braga, foi processado pela ex-senhoria por dever seis meses de renda. Terá deixado também a casa danificada, com cheiro a urina, contam à SÁBADO as advogadas da queixosa.

Segundo a revista SÁBADO, corre no Tribunal de Vila Verde uma ação judicial contra o líder do Chega Vila Verde, José Luís Moreira, por rendas em falta e danos patrimoniais de uma casa que arrendava.

Em fase de julgamento, a última sessão aconteceu no passado dia 4 de novembro – e José Luís Moreira não apareceu. Aliás, o tribunal não consegue identificar o paradeiro do líder concelhio do partido de André Ventura, segundo a mesma fonte.

Sabe o Semanário V que esta não é a única ação judicial de José Luís Moreira que tem dívidas à Segurança Social e outras divergências.

Fernando Silva revoltado com Filipe Melo que continua em silêncio

A distrital do Chega de Braga veio fazer um comunicado público após uma notícia do Semanário V, alegando assim que o coordenador Concelhio de Vila Verde é o Sr. José Luís Moreira, tendo sido indigitado pela CPD de Braga, e está em plenas funções, agora acusado pela ex-senhoria de dever rendas de casa e de deixar a casa em estado ‘lastimável’.

 

Comunicado da Comissão Política Distrital de Braga (na íntegra)

Em resultado das afirmações proferidas pelo militante da concelhia de Vila Verde, Sr. Fernando Silva, ao Semanário V, e na sua página da rede social Facebook, vem a CPD Braga do Partido CHEGA, se demarcar por completo de tais afirmações, desprovidas de verdade. Não nos revemos e não pactuamos com esta postura.

Em face dessas mesmas declarações cumpre informar e esclarecer:

1- O coordenador Concelhio de Vila Verde é o Sr. José Luís Moreira, tendo sido indigitado pela CPD de Braga, e está em plenas funções;

2- Temos total confiança política na atual estrutura Concelhia de Vila Verde;

3- Aprovamos todas as iniciativas de cariz solidário, pelo que nos apraz parabenizar esta Concelhia pela acção que está a levar a cabo neste sentido;

4- O militante Sr Fernando José Dantas da Silva, enquanto Vereador deve procurar zelar pela defesa dos superiores interesses dos vilaverdenses, deixando a questão da gestão concelhia para o Órgão que está legitimado para tal, e que está a ser superiormente gerido pelo Sr José Luís Moreira”.

Fernando Silva, vereador do Chega de Vila Verde, eleito nas últimas eleições autárquicas continuou a negar a veracidade da indigitação de José Luís Moreira como coordenador do Chega de Vila Verde.

Semanário V contactou o Chega nacional e a Distrital de Braga acerca das acusações sobre José Luís Moreira e aguarda uma posição de Filipe Melo.

“E se esse burlão tivesse vergonha, pagava 2650€ que me deve em vez de denegrir a imagem do Chega em Vila Verde. É um malandro, não quer trabalhar, porque trabalho não falta”, escreve Fernando Silva, ex-coordenador do Chega Vila Verde acerca de José Luis Moreira.

A tensão sobe em Vila Verde e no Chega. Depois de sentir-se injustiçado pela distrital de Braga, Fernando Silva vê a decisão do tribunal constitucional e a acusação sobre José Luis Moreira “uma vitória da justiça e da verdade política.”

O Semanário V tentou recolher reações junto da Distrital de Braga do Chega e de Filipe Melo mas não obteve resposta.

Filipe Melo e a distrital do Chega de Braga foram contundentes na ‘nomeação’ de José Luis Moreira para a concelhia do Chega Vila Verde em detrimento do vereador Fernando Silva eleito em Vila Verde, mas não se pronunciam sobre se já tinham conhecimento dos problemas judiciais de José Luis Moreira na altura da sua nomeação para o cargo.

Segundo sabe o Semanário V algumas concelhias não estão satisfeitas com a liderança de Filipe Melo e muitos dizer “que vai haver uma surpresa nas próximas eleições na distrital de Braga”.

Comentários

topo