Braga

Procuram-se pessoas que queiram salvar o planeta no distrito de Braga! Saiba mais

Partilhe esta notícia!

O Electrão continua à procura de mais pessoas interessadas em salvar o planeta. Esta busca iniciou-se em 2021 e prossegue agora com o lançamento da 2ª edição do “Movimento Faz Pelo Planeta By Electrão”. O grande vencedor pode estar no distrito de Braga.

A iniciativa tem como objetivo trazer para a ribalta ativistas ambientais menos conhecidos do grande público, denominados como “big changers”, que diariamente fazem a diferença em prol do ambiente, de forma a influenciar outros a adotar comportamentos mais sustentáveis.

O projeto pretende, também, contribuir para a construção de uma autêntica comunidade de ativistas ambientais, que são exemplos perfeitos de como é possível pensar globalmente e agir localmente.

“Gostaríamos que este movimento pudesse continuar a inspirar e a alavancar muitos outros projectos baseados na protecção dos valores ambientais”, projecta o CEO do Electrão, Pedro Nazareth.

AS NOVIDADES DESTA EDIÇÃO

Este ano os candidatos a “big changers” deste movimento podem apresentar a candidatura directamente na página oficial da campanha, sem necessidade de nomeação de terceiros, ao contrário do que acontecia em 2021. Depois de obter a validação da candidatura cada interessado pode iniciar a sua própria campanha de divulgação nas redes sociais.

No website do movimento será criada uma página que funcionará como montra das várias candidaturas. O público poderá votar no candidato com que mais se identificar. E esta constitui outra das novidades. As cinco candidaturas mais populares serão posteriormente avaliadas pelo júri, constituído por parceiros governamentais, associativos e empresariais e ainda pelos “big changers” do movimento.

O júri terá ainda a possibilidade de eleger até outras cinco candidaturas que, eventualmente, não estejam a atingir grande notoriedade nas redes sociais. Desta lista final, que terá até 10 candidatos, serão escolhidos os três vencedores.

PRÉMIOS PARA OS TRÊS GRANDES VENCEDORES

O primeiro prémio tem associado um valor de 7.500 euros. O segundo vencedor receberá 5.000 euros e para o terceiro ficará reservado um montante de 2.500 euros. Os prémios monetários destinam-se a impulsionar os projectos, tal como previsto no regulamento.

As candidaturas podem ser submetidas até Fevereiro de 2023. A votação decorrerá entre Março e Abril do próximo ano e o anúncio dos vencedores está programado para Maio.

UM MOVIMENTO QUE ESTÁ A CRESCER

Em 2021 o Electrão iniciou a procura de “big changers” ou agentes de mudança, de forma a provar que os gestos individuais podem fazer a diferença, e descobriu um extraordinário exemplo. Lídia Nascimento, tradutora de inglês-alemão, há mais de 20 anos que recolhe lixo das praias. Faz diariamente pelo planeta e, por isso mesmo, foi eleita como a grande vencedora da primeira edição.

Nas acções de limpeza das praias, que dinamiza em conjunto com o marido, Manuel Nascimento, já retirou da costa portuguesa mais de 30 mil quilos de lixo nos últimos anos. É autora do livro “Mar à deriva”, realiza acções de sensibilização nas escolas e promove a alimentação sustentável, entre outros hábitos saudáveis.

Na primeira edição foram ainda atribuídas duas menções honrosas a Carlos Dobreira e Miguel Lacerda. Carlos Dobreira destaca-se pelas acções de plogging, uma combinação de corrida com recolha de lixo, em que está envolvido desde 2019. Miguel Lacerda, fundador da Associação Cascaisea, dedica a sua vida à sensibilização para a problemática do lixo marinho, com estudos, livros e formações para crianças e adultos com o objectivo de mudar mentalidades.

Os “big changers” da primeira edição, embaixadores da iniciativa, juntam-se nesta segunda edição a alguns dos influenciadores mais conhecidos nestas áreas.

Alguns nomes que já ajudaram a inspirar cidadãos na edição anterior regressam a este desafio. É o caso de Ana Milhazes (Lixo Zero), Catarina e Rita Leitão (Zero Plástico), Catarina Matos (Mind the Trash), Gonçalo de Carvalho (SCIAENA), Joana Guerra Tadeu (Ambientalista Imperfeita) e Inês Soares (Nononovo).

OS NOVOS INFLUENCERS DO PROJECTO

O movimento está a crescer e por isso há três novos rostos nesta comunidade que vai alargando. É o caso de Catarina Barreiros que tem um projecto de comunicação para a sustentabilidade, o Do Zero. Desenvolve tópicos relacionados com o ambiente, para os comunicar com uma comunidade de pessoas que querem saber mais sobre o tema.

Eunice Maia, o rosto da Maria Granel, é outra das “big changers” da nova edição. A professora, formadora, oradora e activista, actua, essencialmente, na área da redução do desperdício e do consumo consciente.  Em 2015, fundou a Maria Granel, a primeira “zero waste store” e mercearia biológica 100% a granel em Portugal. 

O movimento contará ainda com o contributo de Andreas Noe, já conhecido como “The Trash Traveller” ou o Viajante do Lixo. O alemão rumou a Portugal em 2017, rendeu-se ao surf e abandonou uma carreira na área biomédica, para tornar-se activista ambiental. Viaja ao longo da costa portuguesa a criar conteúdos artísticos utilizando o lixo que vai recolhendo nas praias, sobretudo plástico.

O Electrão quer dar continuidade a esta dinâmica de inspirar o próximo e de conquistar mais pessoas para a causa da sustentabilidade, com exemplos concretos de como se pode fazer a diferença.

“O movimento irá continuar a crescer para provar que pequenas mudanças podem ter um grande impacto no nosso planeta. Tudo começa na nossa casa, no nosso bairro, na nossa cidade. Existe a vontade de materializar esta ideia e esperamos vir a concretizá-la numa acção conjunta”, antecipa Pedro Nazareth.

Esta iniciativa do Electrão tem como parceiros governamentais a Agência Portuguesa do Ambiente e o Instituto Português do Desporto e Juventude. Entre os parceiros associativos e empresariais do movimento estão o Corpo Nacional de Escutas, Deco Proteste, EGF, ESGRA, Lidl Portugal, Liga dos Bombeiros Portugueses, Quercus e Veolia.

Sobre o Electrão

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos é a entidade responsável por três dos principais sistemas de recolha e reciclagem de resíduos: embalagens, pilhas e equipamentos elétricos usados. Gere uma rede de recolha de equipamentos elétricos e pilhas usadas com mais de 8000 locais de recolha dispersos por todo o território nacional e é também responsável pela reciclagem de embalagens em todo o país. A sua principal missão é assegurar a reciclagem dos resíduos recolhidos, contribuindo para a minimização do impacto ambiental e para um reaproveitamento dos materiais que os constituem promovendo a economia circular. Desenvolve diversas campanhas de comunicação e sensibilização com o objetivo de promover uma maior consciencialização ambiental e uma mudança de comportamentos, de que se destacam o Quartel Electrão, a Escola Electrão e o TransforMAR.

Comentários

topo