Viana do Castelo

Docentes do IPVC “redesenham” Matadouro Municipal de Viana do Castelo

Partilhe esta notícia!

O Grupo de Trabalho de Design do Politécnico de Viana do Castelo, constituído por vários docentes, pretende despertar consciências e chamar a atenção para a importância de combinar tradição, inovação, academia e mundo empresarial, por forma a dar uma “nova roupagem” a construções emblemáticas na cidade de Viana do Castelo.

Combinar tradição, inovação, academia e mundo empresarial em torno de construções antigas, com o objetivo de contribuir para a sua efetiva melhoria a níveis estéticos e sustentáveis. Ao mesmo tempo, estimulam-se jovens designers e atraem-se empresas da área. Estes são os propósitos do GTD – Grupo de Trabalho de Design do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, constituído pelos docentes e investigadores Manuel Rivas, Liliana Soares, Ermanno Aparo, Jorge Teixeira e Rui Cavaleiro.

Liliana Soares explica o fundamento da investigação desenvolvida na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESTG-IPVC) e fala na importância desta “nova abordagem” do design: “O GTD consiste na necessidade de criar alternativas de projeto sustentáveis, renovadores e com sentido de mudança. Pretendemos fazer uma reflexão acerca do ‘redesign’ de construções antigas da cidade de Viana do Castelo, que, devido a fatores externos, se tornaram impróprias. Um desses casos é o Matadouro Municipal. Neste sentido, a questão de investigação foi: em que medida o modus operandi do design, combinando tradição, inovação, academia e o mundo empresarial, pode contribuir para uma efetiva melhoria de edifícios antigos como matadouros? Este projeto, que recupera um edifício junto a uma escola de design, pode servir de estímulo e ocasião para atrair empresas e outras entidades, criando novos stakeholders, que estimulem o desenvolvimento e a inovação”, avança a docente na ESTG-IPVC.

Mas há outros fundamentos a serem explorados neste projeto. Liliana Soares afirma que a investigação desenvolvida pelo Grupo de Trabalho de Design do IPVC permite “fundar juízos, incentivos e, sobretudo, condições para que os jovens criativos possam continuar a viver na sua terra ou fazer deste lugar um polo de atração de criatividade, competitivo e com sentido de futuro”.

Criar uma rede local de partilha de ideias é um dos propósitos

As principais conclusões do estudo são reveladoras de que os passos estão a ser dados no sentido certo, albergando, para isso, diferentes especialistas, com o propósito de ser criada uma rede local de partilha de ideias. “É fundamental desenhar ideias futuras e prototipagem de pensamentos e conceitos. Por outro lado, criar um projeto que combine tradição e inovação para redesenhar um edifício antigo cuja função não existe mais apresenta uma metodologia criativa, experimental e inovadora, pois transfere conhecimento e cultura para a sociedade. Pretendemos, ainda, desenhar um sistema de cooperação que possa contribuir para a criação de novos negócios e unir empreendimentos, desenvolvendo sustentabilidade e competitividade”, descreve, ainda, a docente Liliana Soares.

O trabalho desenvolvido no IPVC tem despertado atenções e aquele grupo de professores tem apresentado o projeto fora das fronteiras do IPVC. Foi o caso da 8.ª Conferência Internacional de Arquitetura, Materiais e Construção (ICAMC 2022), que teve lugar na Universidade de Lisboa, no mês de outubro.

Entretanto, os docentes viram também o artigo “Designing between tradition and innovation”, escrito no âmbito dos projetos desenvolvidos no GTD, publicado na revista Materials Today: Proceedings (ISSN: 2214-7853), uma edição da Elsevier.

O ICAMC é o principal fórum para a apresentação de avanços tecnológicos e resultados de pesquisas nas áreas de arquitetura, materiais e construção, reunindo alguns dos principais engenheiros e cientistas mundiais. Por isso, a presença e a apresentação do referido artigo revelaram-se de elevada importância para a área de Design do IPVC e para a própria instituição.

Comentários

topo