Braga

‘O Trio em Mi Bemol’ de Rita Azevedo Gomes em exibição na cidade de Braga

Partilhe esta notícia!

O Trio em Mi Bemol, realizado por Rita Azevedo Gomes – uma produção da Basilisco Filmes com distribuição No Comboio – estreou no passado dia 1 de dezembro e estará em exibição no cinema vida até ao próximo dia 7 de dezembro. Até ao próximo domingo, dia 4 de dezembro com sessões às 13h50 e 21h55. De segunda a quarta com sessões às 21h50.

Le Trio en Mi Bémol, a única peça de teatro escrita por Éric Rohmer, nos manos 80, foi o mote para o filme *O Trio em Mi Bemol* da realizadora portuguesa. Conta a história de Adélia e Paul, casal separado há algum tempo. Um dia, Adélia visita Paul e, ao longo de um ano, voltam a encontrar-se sete vezes.

Com estreia mundial, este ano, no festival de Berlim, e ante-estreia nacional no IndieLisboa 2022, onde venceu o Prémio de Melhor Realização para Longa Metragem Portuguesa, o filme continua a fazer o seu percurso em
diversos festivais internacionais, tendo sido apresentado, até ao nmomento, em mais de uma dezena de países.

Um filme que nasceu em tempos de pandemia e da urgência, da necessidade que Rita Azevedo Gomes sentia em criar alguma coisa. O contexto exigia que fosse algo fabricado entre um pequeno grupo de amigos, só assim seria
possível acontecer. A esta vontade juntou-se a intenção de jurar fidelidade à peça de teatro mantendo a liberdade de criação.

Mantendo a ideia original de “comédia breve em sete quadros”. Sete tempos do filme; ao longo de um ano; sete encontros de um casal já divorciado ao tempo do início da acção do filme, numa linguagem única, ao estilo de Rohmer. Segundo Rita Azevedo Gomes apesar da procura em manter a fidelidade à peça de teatro, “a intenção nunca seria fabricar um filme ao tom de Rohmer mas, sim, fabricar um filme em total liberdade, com a qual sempre me entendi bem a trabalhar. Diálogos milimetricamente cizelados” que nos chegam como se de uma sonoridade musical se tratasse. No decorrer do filme tudo vai sendo sugerido, “tanto pelas palavras como pelos comportamentos, pelos modos e pela passagem do tempo que vivíamos então. No silêncio, o vento na folhagem dos gigantes velhos eucaliptos”, refere.

Para a realizadora, “tanto na vida como na representação da vida, todos procuram afinal o amor dos outros com o medo de o não encontrar. O filme procura uma expressão justa para essa zona indefinível, mas que existe: o reino onde habita tudo aquilo que existe entre o que se chama realidade e o que se chama irrealidade”.

Numa época de incerteza absoluta, Rita Azevedo Gomes trabalhou uma comédia, elegante e sensível que fazia contraponto com os tempos que se viviam.

Sinopse:

Jorge está a fazer um filme em torno de *Le Trio en Mi Bemol,* a única peça de teatro escrita por Éric Rohmer: Adélia e Paul divorciaram-se há algum tempo. Um dia, ela faz-lhe uma visita. Ao longo desse ano, encontram-se sete vezes. Para Jorge, o realizador, “volta e meia tem que passar a vassoura por cima de todas as coisas, e tudo tem que ser espanado para voltar a ser dito de novo”, mesmo que ele não saiba porquê.

Comentários

topo