Braga

8 anos de prisão para homem que abusou de crianças usando redes sociais

(C) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

O Tribunal da Relação de Guimarães confirmou a condenação a oito anos de prisão de um homem que cometeu cinco crimes de cariz sexual, sendo as vítimas crianças e jovens que conheceu através das redes sociais Facebook e Instagram.

Em nota hoje publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Regional do Porto especifica que o arguido foi condenado por um crime de abuso sexual de crianças, três crimes de pornografia de menores e um crime de coação sexual.

Aquela procuradoria refere que ficou provado que o arguido, através de perfis que criou nas redes sociais Facebook e Instagram, utilizando as ferramentas de ‘chat’ que estas proporcionam, estabeleceu, em 2019, contactos com sete crianças e jovens do sexo masculino, com idades entre os 9 e os 16 anos, “com propósitos de natureza sexual”.

“Mais resultou provado que, depois de estabelecer os contactos, o arguido pedia que as crianças e jovens lhe enviassem fotografias e vídeos do seu corpo nu e, nalguns casos, que praticassem “atos com conotação sexual, o que veio a suceder com três jovens”.

Num dos casos, o arguido logrou mesmo o contacto pessoal com o jovem e constrangeu-o “a manter consigo trato sexual”, sob a ameaça de que, se não o fizesse, publicava na internet fotografias íntimas que tinha dele.

O arguido tinha sido condenado, em fevereiro, no Tribunal de Braga, a oito anos de prisão, mas recorreu para a Relação, que agora confirmou a pena.

Comentários

topo