Braga

Manifestação de professores em Braga era para Costa, mas foi adjunto a ouvir queixas

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Cerca de 70 professores manifestaram-se, em Braga, contra a alegada mudança no processo de colocação dos docentes, num protesto que pretendiam fazer chegar a António Costa mas que foi recebido pelo secretário-geral adjunto do PS.

O protesto decorreu junto ao Altice Fórum Braga, onde ontem terminou o XXIII Congresso da Juventude Socialista, que contou com a presença, no encerramento, de António Costa, na qualidade de secretário-geral do PS.

Sónia Rodrigues, uma das manifestantes, disse que a ideia do Governo é que a colocação dos professores passe a ser gerida pelos conselhos municipais de diretores, o que “abre a porta a critérios duvidosos”.

“O Governo que deixe estar a colocação como está atualmente, nas mãos do Ministério da Educação, e que se concentre no que realmente interessa para salvar a escola pública, que está em perigo”, disse.

Depois de ouvir as queixas dos manifestantes, o secretário-geral adjunto do PS, João Torres, disse que ainda “não há uma decisão definitiva” sobre a colocação dos professores, sublinhando que ainda está em curso um processo negocial.

João Torres sublinhou que “tem havido uma grande desinformação” sobre o assunto e manifestou “total disponibilidade” para o diálogo, tendo mesmo deixado os seus contactos aos manifestantes.

“O processo negocial não está concluído”, insistiu.

Disse ainda que “tem havido um esforço muito grande” por parte do Governo para valorizar a escola pública e os professores, mas reconheceu que “ainda é preciso fazer muito mais” nesse caminho.

António Costa passou, de carro, pela manifestação, sem qualquer declaração aos professores.

Os manifestantes começaram por se concentrar à entrada do Altice Forum, mas foram desviados para uma zona mais recuada pela PSP, que identificou dois manifestantes.

Comentários

topo