Viana do Castelo

Politécnico de Viana do Castelo institui Prémio de Boas Práticas Pedagógicas

Partilhe esta notícia!

O prémio, criado em 2021, constitui uma das peças do plano estratégico do Politécnico de Viana do Castelo no que concerne à dinamização da área pedagógica e visa valorizar e reconhecer o mérito pedagógico do corpo docente do IPVC. As docentes Raquel Gonçalves e Filipa Luz, do Grupo Disciplinar de Ciências Psicológicas e Sociais, foram as vencedoras desta primeira edição.

Como forma de valorizar e reconhecer o mérito pedagógico do seu corpo docente, o Instituto Politécnico de Viana do Castelo instituiu, em 2021, o Prémio de Boas Práticas Pedagógicas.

Terminado o processo de apreciação das candidaturas à primeira edição deste prémio, referente ao ano letivo de 2021/22, o júri deliberou atribuiu o galardão às docentes Raquel Gonçalves e Filipa Luz, do Grupo Disciplinar de Ciências Psicológicas e Sociais. As duas professoras foram distinguidas pelo trabalho desenvolvido na Unidade Curricular de Iniciação à Prática Profissional III, do 2.º ano da licenciatura em Educação Social Gerontológica, da Escola Superior de Educação, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo (ESE-IPVC).

O trabalho desenvolvido, explicou Teresa Gonçalves, pró-presidente do Politécnico de Viana do Castelo para a Inovação Pedagógica, pretendeu contribuir para a aquisição de conhecimento e competências técnicas no domínio do envelhecimento e, simultaneamente, para o desenvolvimento de soft skills, como a resolução de problemas e trabalho de equipa. “O júri valorizou esta prática pedagógica pela sua fundamentação metodológica, pela investigação sobre a própria prática e, em particular, pela adoção de uma metodologia de Aprendizagem Baseada em Projeto (PjBL), que promoveu a centralidade do envolvimento ativo dos estudantes na construção de conhecimento socialmente relevante”, refere Teresa Gonçalves.

Júri atribuiu, ainda, duas menções honrosas

O júri decidiu, ainda, atribuir menção honrosa à docente Carla Faria, do Grupo Disciplinar de Ciências Psicológicas e Sociais, pela prática pedagógica desenvolvida na Unidade Curricular de Problemáticas Neurocognitivas do Comportamento, da licenciatura em Educação Social Gerontológica, com o título de “The Dementia is a Tramp?: Aprender sobre demência com Tony Bennett & Lady Gaga”. O júri salientou o estímulo à participação dos estudantes e ao seu envolvimento em aprendizagens significativas, aplicadas a problemas complexos e reais, que conduziram à (co)construção de ideias inovadoras, integrando pensamento crítico e criatividade.

A docente Clara Amorim, do Grupo Disciplinar de Educação e Formação de Professores, também foi agraciada com uma menção honrosa, pela prática pedagógica desenvolvida na Unidade Curricular de Comunicação Oral e Escrita, da licenciatura em Educação Básica, da ESE-IPVC. O júri salientou, em particular, a dimensão dialógica desta prática, alicerçada na utilização de fóruns e de avaliação de pares utilizando rubricas de avaliação, bem como na integração de recursos tecnológicos de suporte à aprendizagem cooperativa, e os seus efeitos na autonomia e autorregulação das aprendizagens dos estudantes.

Além de reconhecer o empenho e mérito pedagógico dos seus docentes, o Prémio de Boas Práticas Pedagógicas constitui uma das peças do plano estratégico do Politécnico de Viana do Castelo no que concerne à dinamização da área pedagógica.

O presidente do IPVC, Carlos Rodrigues, felicitou as vencedoras e todos os restantes candidatos: “Felicitamos as docentes distinguidas e endereçamos igualmente os nossos agradecimentos a todos os docentes que apresentaram candidaturas e que, desta forma, contribuíram para a dinamização da área pedagógica do IPVC”.

O júri desta primeira edição dos Prémios de Boas Práticas Pedagógicas foi constituído maioritariamente por elementos externos aos IPVC, de forma a garantir o máximo de isenção possível. Foi constituído por José Cravino (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – UTAD), Preciosa Fernandes (Universidade do Porto – UP), Sônia Fernandes (Instituto Federal Catarinense – IFC, Brasil), Vera Lebre (Instituto Politécnico de Bragança – IPB) e presidido por Teresa Gonçalves (Instituto Politécnico de Viana do Castelo – IPVC).

Comentários

topo