Cultura

Artistas nacionais e internacionais vão instalar arte pelos Caminhos de Santiago

Partilhe esta notícia!

Obras de arte contemporânea de artistas nacionais e internacionais vão ser instaladas ao longo dos 261 quilómetros que ligam a Sé do Porto e a Catedral de Santiago de Compostela, na Galiza, foi hoje divulgado.

Em causa está o projeto o Caminho da Arte, promovido pela Lionesa – Associação de Arte, Cultura e Turismo, com o apoio dos municípios portugueses que os Caminhos de Santiago percorrem, a Direção Regional de Cultura do Norte (DRCN) e a Turismo Porto e Norte de Portugal (TPNP).

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Lionesa explicou que o projeto pretende ligar a cidade do Porto e a capital da Galiza, Santiago de Compostela, através da arte contemporânea, e assim criar o mais longo e mais visitado palco de arte do mundo, com mais de 260 quilómetros.

“São exatamente 261 quilómetros de um caminho que pretende valorizar os Caminhos de Santiago, acrescentando-lhes o sentido e o significado da arte contemporânea no nosso século XXI, e, simultaneamente, potenciar o território português e o desenvolvimento económico dos municípios parceiros do projeto”, afirma Paula Silva, coordenadora do projeto, citada no documento.

Os Caminhos de Santiago são uma rota milenar seguida por milhões de peregrinos desde o início do século IX, quando foi descoberto o sepulcro do apóstolo Santiago.

O Caminho Português da Costa atravessa os concelhos do Porto, Matosinhos, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Esposende, Viana do Castelo, Caminha, Vila Nova de Cerveira e Valença.

O projeto foi esta manhã formalizado, através da assinatura de um protocolo, na sede do Turismo do Porto e Norte, no Castelo de Santiago da Barra, em Viana do Castelo.

“O cruzamento do património histórico e cultural, material e imaterial existente dos Caminhos de Santiago com a Arte Contemporânea contribuirá para a valorização artística e cultural dos Caminhos de Santiago e, consequentemente, para o aumento e qualificação do Turismo da região e dos territórios que o projeto atravessa”, sustenta o protocolo.

O documento para a implementação do projeto Caminho da Arte é assinado pela Lionesa – Associação de Arte, Cultura e Turismo e pelos municípios de Esposende, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valença, Viana do Castelo, Vila do Conde e Vila Nova de Cerveira, a Direção Regional de Cultura do Norte e a TPNP.

“As partes assinantes do presente protocolo envidarão esforços no sentido de concretizar uma candidatura do Caminho da Arte a Fundos Europeus, nomeadamente programa de cooperação Interreg V-A Espanha-Portugal (POCTEP), o Interreg e Portugal 2030, mas também a procura de mecenato”, lê-se no documento.

A Lionesa – Associação de Arte, Cultura e Turismo tem como missão a promoção e dinamização de atividades de âmbito cultural, nomeadamente a investigação, a conservação e a valorização de património cultural, material e imaterial e a língua portuguesa, tanto a nível nacional como internacional.

Comentários

topo